Casas

Casa beira-mar tem estrutura em módulos e se integra à paisagem

Ledy Valporto Leal

Do UOL, em São Paulo

Embaúba é uma árvore de sombra generosa, típica do litoral brasileiro, que empresta seu nome a esta casa projetada pela arquiteta Flávia Cancian. Na residência localizada em Ilhabela, costa norte de São Paulo, a topografia, o solo, o sistema construtivo e a implantação da obra foram desafiadores. E, além das dificuldades construtivas, a presença de uma mata vizinha de preservação permanente - com árvores ainda em crescimento -, demandava cuidados e deveria ser considerada como fator determinante no projeto, de modo que as árvores fossem mantidas, bem como evitada a obstrução futura da vista.

O lugar, de rara beleza, está na cota que distancia-se apenas 100 m do nível do mar e num ponto onde a vista se abre do continente para o resto da baía. A casa fica situada num condomínio e o terreno com 960 m² - sendo 24 metros de frente outros 40 m de profundidade -, além de acentuada declividade (40%) e solo muito rochoso, dificultando a execução das fundações. “A primeira dificuldade a ser vencida foi encontrar a cota mais adequada à implantação da casa”, conta Cancian ao explicar que também foi necessário “respeitar a legislação da ilha e conciliar a privacidade dos ambientes com o desejo de transparência”.

 
Assim, além de contemplar todas essas particularidades, houve não só o cuidado de providenciar um generoso recuo frontal, de modo a criar um grande jardim, como o de considerar a questão da insolação: o corpo principal da casa sofreu uma pequena rotação em relação às divisas laterais, de modo a atenuar a incidência do sol na face norte da construção. 
 
O volume superior da Embaúba é caracterizado pelo formato em “V” para ampliar o ângulo de visão que se descortina da generosa varanda percorrendo toda a extensão do pavimento e circunda as quatro suítes e um ateliê instalado no vértice. 
 
No piso inferior, em forma de retângulo, situam-se as áreas comuns deliberadamente integradas – estar, jantar, cozinha e churrasqueira –, voltadas para um grande deck com piscina instalada na laje em balanço com cinco metros de altura. Tal recurso foi deliberadamente aplicado para que, mais uma vez, se tornasse possível o desfrute daquela vista privilegiada. Sob as suítes, uma área suportada por pilotis serve como abrigo para carros, barcos e jet skis. 
 
Sistema construtivo
 
A forte inclinação do terreno levou a arquiteta a criar uma grande laje de concreto, que define o piso do pavimento térreo. Também foi necessário construir um muro de contenção da área aterrada que, por sua vez, viabilizou a instalação de um jardim plano na entrada da casa. Na face oposta há apenas dois pilares, que suportam também o trecho em balanço da piscina. “Foi um recurso que adotamos para otimizar as fundações, dado o terreno cheio de pedras e muito inclinado”, esclarece a arquiteta Flavia Cancian.
 
Todos os componentes construtivos da casa, acima dessa laje, são de madeira cumaru certificada, montados em apenas um mês. Trata-se de uma estrutura sofisticada e racionalizada, constituída por sistemas de encaixe das peças e cuja modulação ajuda a organizar espacialmente os ambientes, pois as grandes vigas transversais definem os usos de cada espaço (jantar, estar, cozinha, etc.).
 
Os fechamentos
 
A Casa Embaúba possui três tipos de fechamento. Na face sul, voltada para o jardim, foram utilizados painéis cegos de placa cimentícia, fixados na alvenaria, que além de assegurar privacidade, protegem a estrutura de madeira da umidade. Para contrabalançar o peso opaco do concreto, painéis de vidro com caixilharia de alumínio comparecem na maior parte dos ambientes e proporcionam a tão desejada transparência. Nos quartos e portas de entrada, as venezianas - em réguas verticais de cumaru - arrematam o conjunto. 
 
Coesa e acolhedora, a Casa Embaúba, já conquistou prêmios de arquitetura e tornou-se o cenário perfeito para períodos de veraneio e momentos de contemplação, além de retratar a o convívio harmonioso da construção com a natureza.

Ficha técnica

Casa Embaúba, Ilhabela (SP)

Projeto de Flavia Cancian

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 960 m²
  • Área Construída 642,55 m²
  • Início do Projeto 2009
  • Conclusão da Obra 2011
  • Projeto Flavia Cancian
  • Colaboradores Tatiana Antonelli, Tiago Oakley, Luciana Bacin, Tiago Kuniyoshi, Maria Cristina S. Martini e Rafael Frajndlich
  • Projeto de Fundação Apoio Assessoria e Projeto de Fundações
  • Projeto Estrutural - Concreto Eduardo Duprat
  • Projeto Estrutural - Aço Hélio Olga (estrutura de madeira)
  • Construção Casemiro Lorena e Antonio Ponchon
  • Projeto de Instalações Elétricas Zamaro e Pessoa Projetos de Instalações
  • Projeto Luminotécnico Reka Iluminação
Topo