Casa e decoração

Casa em níveis liga quartos à garagem para garantir privacidade e vistas

Giovanny Gerolla

Do UOL, em São Paulo

O projeto da Residência Península dos Pássaros precisava agrupar e integrar todos os ambientes sociais, além da cozinha e da área externa com piscina em um mesmo pavimento. O que se tornou um desafio para os arquitetos Eduardo França e Letícia de Azevedo, porque existiam três condições básicas como norte: as necessidades da família, a existência de um terreno muito acidentado, em declive, e o aproveitamento da paisagem montanhosa dos arredores de Belo Horizonte (MG).

A solução foi encontrada na distribuição pouco comum dos cômodos da casa: a entrada principal junto à garagem também dá acesso aos cinco dormitórios, enquanto a área de convívio fica no piso intermediário, abaixo das suítes, sobre o maior dos platôs do lote e um terceiro nível, ainda mais baixo e quase enterrado, que dá abrigo aos serviços.

A proposta previa, ainda, o acesso a partir da rua por rampas externas - uma para carros e outra para pedestres, ambas completamente livres de guarda-corpos e executadas em concreto polido nível zero (muito liso, com aparência de cimento queimado), o que otimiza o olhar sobre o horizonte.

Esses enfáticos acessos de coadjuvantes contumazes acabaram por se tornarem os elementos fundamentais da circulação e toda a arquitetura passou a ser trabalhada em cores que acompanhariam a do material cru: perfis estruturais metálicos pintados em cinza escuro e fechamentos laterais em placas cimentícias externamente revestidas por uma textura acinzentada.

O trabalho e a recompensa

Para sua viabilização, o projeto da casa seguiu uma lógica construtiva que considera o assentamento da edificação no terreno natural, lançando mão do mínimo de escavações e aterramentos. Isso significa que a casa foi “encaixada” ao desnível. Essa decisão fez com que as vistas pudessem ser melhor exploradas e em maior quantidade.

“Quase todos os cômodos da Península dos Pássaros ficam voltados para os fundos do terreno, de onde é possível contemplar a Lagoa dos Ingleses e uma mata de preservação permanente através das portas de vidro, do deck ou da piscina”, conta o arquiteto Eduardo França.  Essa disposição também permitiu que a frente ostentasse fechamentos mais robustos, que oferecem privacidade aos moradores, sem que muros fossem erguidos.

Por fim, “a ideia do uso extensivo do vidro temperado nas laterais, do cinza que acompanha o concreto nas paredes e da madeira nos lambris para portas e forros criam uma combinação simples e harmoniosa que permite destacar a volumetria da casa”, resume França.

Esse desenho arquitetônico, com ênfase especial para os elementos estruturais metálicos, dá leveza ao corpo construído ao passo que permitiu que a obra fosse executada com rapidez. O conjunto, assim, se resume em um mirante aconchegante e eficaz, que dá conforto e beleza ao cotidiano dos moradores.

Ficha técnica

Residência Península dos Pássaros, Nova Lima (MG)

Projeto de Estúdio Arquitetura - Eduardo França e Letícia de Azevedo

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 620 m²
  • Área Construída 600 m²
  • Início do Projeto 2011
  • Conclusão da Obra 2013
  • Projeto Estúdio Arquitetura
  • Equipe Eduardo França e Letícia de Azevedo
  • Colaboradores Mariana Cretton e Thomas Whyte
  • Projeto de Arquitetura Eduardo França e Letícia de Azevedo
  • Projeto de Fundação Luiz Carlos di Iorio
  • Projeto Estrutural - Concreto Topmix Engenharia e Tecnologia de Concreto
  • Projeto Estrutural - Aço Mecânica Confins
  • Construção Osvaldo Lara
  • Projeto de Instalações Elétricas Matheus Cruz Elias
  • Cálculo Estrutural Luiz Carlos di Iorio
Topo