Casas

Casa foi desenhada de acordo com a mandala Vastu Purusha, espécie de Feng Shui indiano

Tania Bértolo

Do UOL, de San Jose da Costa Rica

Uma casa estritamente ordenada em que cada espaço deve estar em sintonia com a mandala Vastu Purusha, a antiga ciência indiana de orientação para edificações que toma como base a figura humana encerrada em um diagrama quadriculado com 81 células.

Ainda pouco conhecido no mundo Ocidental, o conceito não é nada simples, mas foi o principal desejo dos proprietários -e assim foi feito pelo arquiteto Sandeep Kohsla, de Kohsla Associates, responsável pelo projeto. 

Essa filosofia se originou nos textos Vedas hindus e dita as regras de planejamentoespacial para a arquitetura e construção, buscando otimizar o equilíbrio energético da edificação como parte do entorno natural, além de incentivar a prosperidade do lar. Segundo Kohsla “a residência definitivamente permite aos proprietários viver e se sintir melhor durante todo o ano”. Assim, a suite principal esta na zona da terra, a cozinha, na do fogo, a piscina e a entrada na área da água. Até mesmo portas, localizaçãodas escadas, camas, closets e bacia sanitária tinham de estar de acordo com os fluxos de energia ditados pela mandala Vastu.

Com tantas demandas e limitações, seria razoável pensar que a arquitetura ou o estilo tivessem de ser sacrificados em prol das regras. Neste caso, no entanto, a abordagem do projeto foi responder à ciência tradicional com uma interpretação diferente.

Um exterior de linhas horizontais suaves e longilineas, fechamentos de vidro e fachadas pintadas de branco envelopam a casa organizada por entre a natureza existente. Nas fachadas, o branco é interrompido por paredes de pedra rústica talhada; algumas paredes internas, como não poderia deixar de ser, trazem as cores saturadas tradicionais da Índia: magenta profundo, laranja e azul anil.

Clima de monções

A construção é dividida em desníveis ascendentes que vão de nordeste a sudoeste, onde está seu ponto mais alto. A sensação de infinito se evidencia e é calcada no layout de espaços abertos que responde espontaneamente ao entorno vivo. O clima de Bangalore, onde a casa está situada, é quente o ano todo e castigado por ferozes monções. Por isso a sudoeste as fachadas foram protegidas do sol, ao passo que são abertas ao jardim tropical implantado junto à fachada norte da construção. Da mesma maneira, o quarto principal possui uma grande área externa e banheiro com iluminação zenital.

As áreas sociais gozam de vista para o jardim e para a piscina. A sala de estar abre passagem a um pátio central a céu aberto, outra exigência da mandala Vastu. A varanda que rodeia esse pátio tem um telhado tradicional, sustentado por grandes suportes de aço ligados a colunas laterais de pedra esculpida. Uma mesa de jantar ao ar livre aproveita o clima temperado e é gentilmente refrescada por um canal de água.

A decoração está entre o luxuoso e o despojado, pelo privilégio de materiais de acabamento naturais. Foram usadas pedra para as escadas, pisos de concreto lixado e caixas de seixo em oposição aos pisos de mármore italiano polido. O mobiliário reúne móveis de finos de teca com estofados de veludos e sedas.

Ficha técnica

Casa Vastu, Bangalore, Índia

Projeto de Khosla Associates

Detalhes do projeto
  • Área Construída 1.211 m²
  • Projeto Sandeep Khosla, Amaresh Anand e Lavina Taur
  • Projeto de Paisagismo Sanjiv Basappa
  • Projeto Estrutural - Concreto Manjunath & Co.
  • Construção Engenheiros Hi Tech
Topo