Casa e decoração

Casa na BA tem varandão suspenso para admirar paisagem da Chapada Diamantina

Ledy Valpórto Leal

Colaboração para o UOL, em São Paulo

O terreno escolhido para a construção desta residência de fim de semana fica em um trecho do Vale do Capão, no coração da Chapada Diamantina (BA). Apesar de distante de Salvador (450 km), onde residem os proprietários, o local da "casa de refúgio" foi eleito graças à sedutora beleza da região e ao mais completo isolamento, só quebrado pela presença próxima do pequeno vilarejo conhecido como Bomba.

A Casa do Bomba, como passou a ser chamada, encrava-se no sopé de uma montanha e, apesar das extraordinárias dimensões de seu terreno (12 mil m²), tem um programa bastante compacto, são “apenas” 320 m² de área construída.

O projeto, desenvolvido pelo escritório Sotero Arquitetos, divide a construção em dois blocos com um único piso e frente voltada para o Morro Branco, protagonista da paisagem. O volume maior abriga a residência em si: suíte do casal com varanda e ala social francamente integrada com salas de estar, jantar, home theater, cozinha e bar. O destaque, porém, vai para a generosa varanda que funciona como mirante.

O bloco menor destina-se à suíte de hóspedes e ao espaço para atividades de relaxamento e meditação. Ambos têm planta ortogonal (com ângulos retos) e são implantados no sentido do caimento do lote, apenas parcialmente apoiados no solo. Com a intenção de estabelecer uma continuidade visual entre os dois prédios foi criado um pátio interno. Além de definir os acessos externos, tal espaço ganha maior dinamismo graças à disposição das fachadas na diagonal. "O pátio funciona como uma área abrigada dos ventos e distribuidora de luz filtrada para as áreas sociais", afirma o arquiteto Adriano Mascarenhas.

Sistema construtivo

A casa foi erguida com o emprego do concreto armado moldado "in loco", para que se garantisse a mínima intervenção na topografia local e assegurasse o transporte de seus componentes em pequenas quantidades, face à precariedade de acesso ao local e a necessidade de preservá-lo. O uso do concreto também permitiu o ousado balanço frontal que se apoia em apenas duas colunas: o vão tem 5 m de extensão e se eleva a 3,5 m do nível do solo. O apoio atirantado (que exerce toda a força para que a estrutura permaneça em pé) se dá por duas vigas invertidas que percorrem o comprimento da cobertura.

A laje que forma o teto, aliás, é utilizada como terraço e conta com um deck. A forma de construir deu margem à ausência de vigas sob a laje, o que viabilizou a utilização de esquadrias extensas que ocupam toda a medida do pé-direito, como explica Mascarenhas. O conjunto ganha assim uma forte identidade visual, como se o bloco alçasse voo sobre o vale.

Ficha técnica

Casa do Bomba, Chapada Diamantina (BA)

Projeto de Sotero Arquitetos

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 12.000 m²
  • Área Construída 320,1 m²
  • Início do Projeto 2012
  • Conclusão da Obra 2014
  • Projeto Sotero Arquitetos
  • Equipe Adriano Mascarenhas (autor), Saulo Coelho (coordenador), Helder da Rocha, João Guedes e Fernanda Cruz Rios
  • Projeto de Arquitetura Sotero Arquitetos
  • Projeto de Decoração Sotero Arquitetos
  • Projeto Estrutural - Concreto Ruy Bentes Engenharia de Estruturas
  • Construção Jaime Villas Boas
  • Projeto de Instalações Elétricas Producto Engenharia
Topo