Casas

Com 96 m², o monólito revestido de madeira é uma cabana moderna na costa chilena

No distrito de Matanzas, antigo porto chileno, uma construção simples e compacta, erguida no alto de uma formação rochosa, chama a atenção dos muitos visitantes de suas praias. Submetida a ventos fortes, essa parte do litoral chileno atrai praticantes de esportes como surf e windsurf durante a maior parte do ano.

Segundo os autores do projeto, os arquitetos chilenos Nicolás Valdés e Constanza Hagemann, foram os ventos fortes da região que determinaram a forma da Casa D: um volume monolítico protegido das intempéries, sem terraços nem alpendres projetados. No interior, eles procuraram criar espaços confortáveis, descontraídos e de boa qualidade. A economia também pesou na concepção do projeto, visto que o orçamento disponível para a obra era pequeno.

No terreno de 5 mil m², o local escolhido para a implantação foi o ponto mais alto, a aproximadamente 65 m do nível do mar, o que proporcionou vistas panorâmicas de todo o entorno. A Casa D desenvolve-se dentro de um volume quadrado de 9 m por 9 m, no qual foi inserido um outro volume menor, em nível mais alto, virado 45° em relação à planta.

Esse posicionamento em diagonal do pavimento superior organizou os espaços do térreo, gerou um pé-direito duplo para a cozinha e sala de jantar, e ainda possibilitou a farta entrada de luz natural através das grandes aberturas envidraçadas.

No piso térreo, o programa se organiza de maneira simples, com os ambientes de estar, jantar e cozinha integrados. Um dormitório e o terraço orientado para o norte completam o andar. Como não está projetado para fora do monolito, o terraço permite que os moradores desfrutem do exterior mesmo nos dias de vento forte.

Transparência e proteção

Junto à parede do fundo da casa, um estrado de madeira parte do vestíbulo, apoia a escada que leva ao piso superior, e chega ao dormitório, onde serve de cama. O piso superior, disposto na diagonal, é ocupado pelo dormitório principal e banheiro. As generosas aberturas envidraçadas foram orientadas para vistas panorâmicas do bosque situado abaixo do lote, da praia, do Pacífico e de uma ilhota bem próxima ao litoral.

Na construção foi utilizado concreto aparente, aço, madeira e vidro. No piso, a madeira usada foi o pinus raiado e, no revestimento das paredes, tanto externos quanto internos, o mesmo tipo de pinus, mas impregnado de sulfato de cobre.

Vidros simples foram usados nas janelas, com caixilhos de alumínio anodizado na cor bronze escuro. A cobertura de uma água tem é constituído por vigas de madeira que suportam placas de lâminas de madeira estrutural de grande resistência, recobertas por membrana asfáltica. Todo sistema de captação da água da chuva é embutido e fica oculto. Na cozinha, o grande balcão que acomoda pia, fogão e armário foi projetado pelos arquitetos. (Éride Moura, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

CasaD, Matanzas, Chile

Projeto de Panorama Arquitectos

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 5.000 m²
  • Área Construída 96 m²
  • Início do Projeto 2009
  • Conclusão da Obra 2010
  • Projeto Nicolás Valdés e Constanza Hagemann
  • Colaboradores Felipe Wedeles (WMR Arquitectos)
  • Projeto de Paisagismo Barbara Gomez
  • Projeto Estrutural - Concreto Osvaldo Peñaloza
  • Construção Hernan Cortes
  • Projeto Luminotécnico Panorama Arquitectos
Topo