Apartamentos

Com reforma, apartamento da década de 1980 ganha área de lazer e terraço coberto

Imagine uma reforma pesada em uma residência, na qual se derrubam paredes e pilares e novos ambientes são construídos. Imagine essa obra durar quase um ano inteiro, e gerar mais decem caçambas de entulho. Pois bem, agora imagine tudo isso dentro de um apartamento dúplex de cobertura.

Esse foi o processo da mega reforma de um imóvel de 600 m² na zona oeste da cidade de São Paulo. O dúplex do prédio da década de 1980 nunca tinha sido reformado e apresentava estruturas de concreto robustas, caixões perdidos, tubulações de ferro embutidas e ambientes muito compartimentados. A arquiteta Monica Drucker apresentou um projeto radical que transformou os muitos ambientes em poucos, mas generosos, espaços.

O processo mais pesado de construção consistiu na integração dos ambientes do pavimento inferior. Com a retirada das paredes de alvenaria grande parte das áreas subdivididas transformaram-se em um só espaço, amplo e integrado, com salas de estar, jantar, home theatre, lareira e cozinha separada por portas de correr de vidro. Além da integração o pavimento foi ampliado a ponto de englobar uma parte do terraço da piscina, muito pouco usado devido aos fortes ventos do local.

Essa ampliação exigiu uma nova laje de adequação de nível entre salas e terraço e criou um seminível fechado de pé-direito duplo, com mesa de almoço. Para demarcar o novo limite foram instaladas divisórias de aço e vidro, que se elevam até o pavimento superior. Uma cobertura de policarbonato protege o espaço semiaberto. Já no terraço o projeto de reforma inutilizou a piscina que gerava muitas infiltrações e definiu uma área com hidromassagem e churrasqueira, deck de madeira, caixilhos de alumínio com fechamento de vidro e guarda-corpo do mesmo material. Ao todo, o pavimento inferior totalizou 320 m² de área construída.

Ainda no primeiro piso, chama a atenção uma parede curva de pé-direito duplo revestida de ripas de cumaru de 3 cm de largura que dá um toque modernista ao apartamento e cria um contraste com os espaços claros e contemporâneos à sua volta.

Essa era a parede original da caixa de escadas da área comum do edifício, oculta por paredes ortogonais durante muitos anos. “Esse é o lado vivo e interessante das reformas”, diz Drucker. Anexa à parede curva, uma grande escada de aço inox e vidro leva ao pavimento superior.

Nesse nível a reforma transformou quatro suítes em três, uma delas servida por um closet alongado. Além dos dormitórios foi criada uma área de estar voltada para o terraço, com guarda corpo de vidro. Com paredes imaculadamente brancas e piso cimentado claro (de madeira no mezanino), todos os ambientes foram pontuados por móveis de design contemporâneo, como poltronas e sofás, onde predomina o vidro, o aço e estofados de couro nas cores branca, preta e vermelha. Além do mobiliário o apartamento é uma grande galeria de arte, com telas abstratas e figurativas. (Simone Sayegh, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Apartamento Villa Lobos, São Paulo

Projeto de Monica Drucker

Detalhes do projeto
  • Área Construída 600 m²
  • Início do Projeto agosto de 2009
  • Conclusão da Obra janeiro de 2010
  • Projeto Monica Drucker
  • Colaboradores Ruben Otero e Victor Minghini
  • Projeto de Paisagismo Marcelo Faisal
  • Projeto Estrutural - Concreto Stec do Brasil
  • Construção Empreiteira C. Rodrigues
  • Projeto de Instalações Elétricas Evolution Projetos e Instalações
  • Projeto Luminotécnico Monica Drucker
Topo