Apartamentos

Decoração utiliza estratégias variadas para ampliar espaços em apartamento de 75 m²

Compatibilizar as exigências de um jovem casal com agitada vida social a um espaço de apenas 75 m². Esse foi o desafio que a arquiteta Camila Klein precisou superar no projeto de interiores do apartamento localizado na zona sul de São Paulo. Camila diz que, muitas vezes, para poder ter um determinado espaço é preciso fazer concessões. “Mas nesse caso, a gente não quis abrir mão de nada”, diz ela, referindo-se à mesa de jantar para seis pessoas, à sala para TV e, principalmente, à adega, erguida no meio da sala.

Para viabilizar tudo isso na planta de metragem reduzida, foi preciso lançar mão de uma série ações, das mais convencionais às mais inovadoras, para conferir amplitude aos espaços. A principal delas foi a integrar os ambientes. As divisões físicas existentes entre living, sala de jantar e cozinha foram eliminadas, transformando esses cômodos em locais mais confortáveis, amplos e adequados ao casal, que gosta de receber amigos para jantares e pequenas reuniões.

Assim surgiu o living separado da sala de TV por uma tela double screen. Suspensa, a lâmina de vidro é capaz de exibir a imagem gerada por um projetor de vídeo em seus dois lados.Camila conta que esse tipo de solução é muito indicado quando se quer delimitar o espaço, mas sem dividi-lo completamente. Imediatamente abaixo da tela, um móvel de marcenaria serve simultaneamente o living e sala de TV.

Adega de parede

Também integrada ao living, a sala de jantar chama a atenção pelo pórtico de MDF com acabamento em madeira escura (nogueira catedral). A peça, que ajuda a marcar o ambiente, percorre todo o forro e desce verticalmente dando origem a uma parede-adega.

O abrigo para vinhos adicionou um toque masculino à sala e, em função da limitação de espaço do apartamento, seria inviável se fosse executado nos moldes convencionais com as garrafas na horizontal. Mas a decisão de manter as garrafas a 45 graus permitiu construir a adega sem colocar em risco a circulação.

Cores neutras e texturas variadas

Ainda na sala de jantar, o uso dos espelhos como meio de dar amplitude e maximizar a luz fugiu do convencional. No apartamento projetado por Camila Klein, as superfícies espelhadas não estão apenas na parede lateral, como acontece normalmente, mas também no tampo da mesa. “Dessa forma valorizamos tudo o que é servido sobre esse móvel”, explica Camila, responsável pelo desenho da peça, executada em marcenaria.

Além do mobiliário visualmente leve e da organização espacial fluída, a atmosfera de sofisticação, informalidade e aconchego exigida pelos usuários foi conquistada, ainda, pela adoção de cores neutras nos revestimentos, pela combinação de tecidos com texturas variadas e pela iluminação suave e dimerizadaque cria espaços cênicos diversos.

Isso se aplica também na parte íntima do apartamento. Na suíte do casal, o piso de madeira, as luminárias pendentes e a cabeceira de couro pespontado dão um ar acolhedor e agradável ao cômodo de dimensões reduzidas. Até mesmo oscriados-mudos receberam acabamento texturizado sobre o MDF. Complementa o cômodo de dormir uma pequena área de trabalho construída sobre prateleiras de vidro em um nicho existente entre a cabeceira da cama e o guarda-roupas espelhado. (Juliana Nakamura, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Apartamento na zona sul, São Paulo, SP

Projeto de Camila Klein

Detalhes do projeto
  • Área Construída 75 m²
  • Início do Projeto abril de 2011
  • Equipe André Bove, Fernanda Lara
  • Construção Gafisa
Topo