Casa e decoração

Estantes deslizantes organizam casa completa em menos de 50 m²

Juliana Nakamura

Colaboração para o UOL, de São Paulo

"Cada metro quadrado vale ouro". Foi com esse lema em mente que os arquitetos do escritório espanhol PKMN [lê-se "Pac-man"] desenvolveram o projeto Pequeñas Grandes Casas. A intenção era, através de módulos móveis, criar soluções que assegurassem um uso mais inteligente do espaço. 

Um dos resultados desse trabalho é a casa da designer Yolanda Pita, localizada em Madri e reformada em 2014. Construído nos anos 1940, o imóvel tinha dois predicados valiosos para a moradora: o valor sentimental, pois pertencera a sua avó, e um agradável jardim na área externa.

Módulos “mágicos”

Batizada de “All I Own House”, a reforma deveria prover locais confortáveis para a moradora descansar, receber amigos e familiares e trabalhar. O problema era conseguir encaixar tudo isso em menos de 50 m². Foi então que os arquitetos Enrique Espinosa, Carmelo Rodríguez, Rocío Pina e David Pérez propuseram uma solução engenhosa e inovadora.

Trata-se de três grandes caixas suspensas, instaladas sob trilhos industriais, que se movimentam como arquivos deslizantes de bibliotecas. Ao se deslocarem de um lado para outro com um simples empurrão, os módulos dão origem a diferentes ambientes, como living, cozinha e dormitório. Dessa forma, a pequena casa de Yolanda não é estática e fixa: ela se transforma ao longo do dia e de acordo com a necessidade do momento.

Confeccionado com placas de OSB (Oriented Strand Board) com estrutura metálica interna, cada módulo embute um tipo de mobiliário dobrável e retrátil, além de espaços para armazenamento. A matéria-prima foi escolhida por combinar leveza a alta resistência físico-mecânica. Além disso, o produto dispensa revestimentos e é ecologicamente correto, já que provém integralmente de florestas renováveis. Apesar da movimentação fácil (veja o vídeo abaixo), cada compartimento móvel pesa entre 500 e 800 kg, quando completamente cheio.

Pop-up

Para organizar o “layout”, o projeto dividiu a área do piso em duas partes. Na primeira, com acesso para o jardim, foi configurado um salão livre de divisórias onde fica o escritório da designer e um espaço para convivência. Integrada a esta área, há três módulos móveis que permitem a ocupação do mesmo espaço físico com diferentes configurações. Nas extremidades da planta foram alocados a cozinha (à dir.) e o banheiro, que por demandarem muita infraestrutura hidráulica, são fixos.

Graças ao conjunto de soluções criadas para a casa da designer, os arquitetos do PKMN conseguiram resolver, ao mesmo tempo, três grandes desafios. O primeiro deles era garantir qualidade espacial para todos os ambientes, ou seja: amplitude, privacidade e excelentes ventilação e iluminação. O dormitório, por exemplo, mede 10 m². Além disso, a moradora pode ajustar o tamanho dos cômodos de acordo com sua necessidade. Ela pode, por exemplo, optar por usar uma cozinha pequena e o living ao mesmo tempo. Ou manter a cozinha em sua versão mais ampla, dispensando a sala.

Outra demanda atendida foi por separação entre as atividades residenciais e o escritório da designer, que costuma receber colaboradores e clientes. Um elemento fundamental para isso foram os painéis deslizantes que ajudam a esconder a cozinha e o banheiro sempre que necessário. O mesmo painel assegura privacidade ao quarto, durante a noite.

Por fim, a intervenção permitiu à moradora expressar sua personalidade dinâmica e criativa através dos espaços mutantes, e não necessariamente por meio de objetos estáticos. O projeto, aliás, não deixa de gerar uma reflexão sobre organização e a necessidade que temos de acumular coisas. Mas diferente de trabalhos comumente desenvolvidos para ambientes compactos, a casa de Yolanda Pita possui bastante espaço para o armazenamento. Os três módulos juntos somam 11,27 m² de gabinetes, prateleiras e gavetas para ela guardar o que quiser.

Ficha técnica

All I Own House, Madri, Espanha

Projeto de PKMN Architectures

Detalhes do projeto
  • Início do Projeto 2014
  • Conclusão da Obra 2014
  • Projeto PKMN Architectures
  • Equipe Carmelo Rodríguez, David Pérez, Enrique Espinosa e Rocío Pina
  • Colaboradores Alfredo Merino Caldas (marcenaria); Hepcomotion (movimentação); Mosaic del Sur (cerâmica)
  • Projeto de Decoração Carmelo Rodríguez, David Pérez, Enrique Espinosa e Rocío Pina
  • Projeto Estrutural - Aço Mecanismo SL
  • Construção Rusega SL
  • Projeto de Instalações Elétricas Alberto Espinosa
  • Comunicação Visual Javier de Paz García (fotos); PKMN + Daniel Meré (vídeo)
Topo