Casa e decoração

Estúdio de 38 m² nos arredores da Av. Paulista une design, funcionalidade e conforto

Loft em tamanho reduzido ou quitinete arrumadinha, o apartamento do tipo estúdio tem pouca metragem, mas pode oferecer conforto a quem escolhe essa opção de moradia. Em geral voltados a profissionais liberais, artistas ou, simplesmente, gente que mora sozinha, os estúdios são compactos, mas nem sempre baratos ou pouco sofisticados.

Com módicos 38,75 m2, esse estúdio no edifício Option, localizado nas proximidades da Avenida Paulista, em São Paulo, ganhou contemporaneidade através do projeto de arquitetura de interiores do escritório paulistano FGMF. Aqui, a grande sacada do plano de design para o mini-apartamento foi a utilização de duas estruturas mestras para aproveitar espaços e dar unidade à decoração.

Como a metragem era pouca, os arquitetos pensaram, primeiro, em utilizar uma estrutura de madeira (compensado naval revestido com haia) para cobrir toda a extensão da parede que fica à direita de quem entra no estúdio. A estrutura foi aproveitada para encaixar nichos e prateleiras em um sistema de cremalheiras, criando uma estante mutável e suspensa que ainda sustenta uma TV articulada em um braço que se movimenta em 180o.

 

Essa mesma madeira, que cobre a parede do living, é vista em chapas no fundo do estúdio, onde fica a cabeceira da cama de casal. Dessa forma, o material confere unidade e aconchego aos ambientes mais íntimos do apartamento.

Fernando Forte, um dos arquitetos responsáveis pelo projeto, diz que “trabalhar nesse apartamento foi como trabalhar em uma cabine de navio”, porque todo e qualquer centímetro do ambiente precisava ser aproveitado.

A segunda estrutura que possibilitou o bom uso do espaço, além de garantir beleza e fácil manutenção das peças, foi a bancada em U feita de inox. À esquerda da porta principal, da qual é separada por um anteparo de ripas finas de madeira, a bancada e alguns armários acomodam todos os elementos da cozinha -como geladeira, fogão e utensílios menores- também serve de mesa para refeições e pode esconder uma máquina de lavar em uma de suas extremidades.

Parte por parte

Apesar de integrados, os ambientes são bem definidos e têm vedetes do design como pontos de interesse do "decór". O arquiteto Fernando Forte salienta que a delimitação dos espaços que servem de quarto e sala é feita, especialmente, pelo sofá de alvenaria, coberto por futons coloridos e com encosto de madeira incrustado e baixo, criado pelo escritório.

No limite entre sala e cozinha, o destaque do mobiliário são as cadeiras Panton, ícones da Pop Art, que ficam sob a bancada em balanço. Na sala, o espaço ainda permite a colocação de mais uma poltrona e a sugestão é a Tongue, assinada por Pierre Paulin.

No quarto, assim como na cozinha, prateleiras que invadem a parede em nichos permitem que o espaço seja bem aproveitado e ganhem em charme. Enquanto a iluminação é disposta num jogo de estruturas aparentes que abrem espaço para focos de luz em pendentes assinados, como os que ficam ao lado da cabeceira da cama, de Alvar Aalto, e o que ilumina a bancada de refeições e tem design do brasileiro Fernando Prado.

No banheiro, pastilhas de vidro e um revestimento cimentício se combinam ao porcelanato fosco e cinzento, semelhante ao cimento queimado, que se espalha pelos demais ambientes. Na varanda, ainda que modesta em tamanho, o toque de modernidade fica por conta das cadeiras Paulistano, de Paulo Mendes da Rocha.

Fernando Forte diz que o estúdio nos arredores da Paulista foi o menor projeto já realizado pelo escritório FGMF em seus 10 anos de existência. Sua execução, depois de prontos os desenhos e orçados os custos, foi de cerca de 45 dias. O resultado:  um compacto descolado e de bom gosto no coração da metrópole. (Daiana Dalfito, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Estúdio Option, São Paulo

Projeto de FGMF Arquitetos

Detalhes do projeto
  • Cliente Estúdio Option
  • Área Construída 38,75 m²
  • Início do Projeto Março de 2010
  • Conclusão da Obra Novembro de 2010
  • Projeto Fernando Forte, Lourenço Gimenes e Rodrigo Marcondes Ferraz - FGMF Arquitetos
  • Equipe Bruno Araujo, Monica Harumi, Marina Cardoso de Almeida
  • Colaboradores Marília Caetano, Ana Paula Barbosa, Dante Furlan, Sônia Gouveia
  • Projeto de Arquitetura Marcos Gavião
  • Construção Construtora Cáucaso e FGMF
  • Projeto Luminotécnico FGMF
Topo