Casas

Fachada dos anos 40, interior do século 21

Uma casa de arquitetura singela, construída em 1943 em um terreno estreito e comprido (6,5 m x 38 m), configurando um típico sobrado da primeira metade do século 20, bastante comum na capital paulistana, especialmente em bairros de classe média como o Sumaré. Passado o tempo, os novos proprietários providenciaram uma reforma total do imóvel que se encontrava em péssimo estado de conservação.

De imediato, a ideia dos arquitetos Ana Vidal, Alessandra Almeida e Silvio Sant’Anna foi inverter as funções dos espaços. Ou seja, a ala social, que anteriormente ficava na entrada da casa foi deslocada para os fundos e a área de serviço, cozinha e escritório agora estão na frente da residência. Desse modo, o desejo do casal de moradores foi atendido: desfrutar da máxima privacidade possível e de muito conforto tanto para o dia-a-dia como para ocasiões especiais de reuniões com amigos.

A solução tornou a casa mais prática. “Buscamos a estética do funcional e a limpeza de detalhes, resultando num conjunto harmonioso e confortável, porém livre de excessos”, afirma a arquiteta Ana Vidal. Com 230 m² construídos, a residência teve a antiga garagem coberta, situada na lateral, substituída pela cozinha. Os carros ficam guardados no recuo da entrada principal.

A reforma trouxe de volta à cena o antigo hall de entrada, ambiente que caiu em desuso nas últimas décadas. Aqui, entretanto, comprova sua utilidade ao ser ocupado por um buffet-aparador de jacarandá dos anos 1950 assinado por Jorge Zalszupin para a L’Atelier, encimado pelo díptico em massa acrílica sobre tela, criado pela própria arquiteta Ana Vidal.

O espaço frontal da casa abriga, além do hall de entrada, a área de serviço, o lavabo, o home-office e a cozinha do tipo americana, cujo balcão integra todos os ambientes e permite receber amigos enquanto se prepara o jantar.

Os ambientes do setor social são muito agradáveis e aconchegantes. Instalados na parte dos fundos da casa (onde antes era a área de serviço e a edícula com depósito e banheiro), recebem iluminação e ventilação abundantes através das portas-balcão que se abrem para os jardins e o espaço da piscina, onde há terraço, deck e jardim. Internamente, jantar e estar são integrados e a ambientação em preto e branco, além dar a sensação de leveza, concede elegância ao conjunto.

Geminada dos dois lados, a casa precisava ser arejada e receber muita luz. Um dos recursos para isso foi criar uma claraboia de policarbonato fosco translúcido sobre o hall da escada, de modo que a iluminação zenital atingisse também os espaços do térreo, além do primeiro pavimento. A parede da escada teve seus tijolos originais preservados e pintados de branco.

O pavimento superior é reservado à ala íntima e recebeu algumas modificações. Uma delas na suíte máster que, além do closet, ganhou dois banheiros, um deles com banheira. Há ainda mais um banheiro no corredor servindo o quarto de hóspedes e o do bebê, cujo terraço apresenta duas colunas originais de madeira.

Todo o forro da casa foi rebaixado com gesso embutindo a iluminação artificial e ainda assim o pé-direito ficou com 2,75 m. As telhas de barro romanas são originais, assim como os tijolos da parede da sala de jantar que receberam pintura branca.

A decoração é suave e elegante, refletindo o estilo de vida dos proprietários que priorizam o conforto e os momentos de lazer vividos na nova casa. (Ledy Valporto Leal, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Reforma em sobrado de 1943, São Paulo (SP)

Projeto de Vidal & Sant'Anna Arquitetura

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 247 m²
  • Área Construída 230 m²
  • Projeto Ana Vidal, Alessandra Almeida e Silvio Sant´Anna
  • Projeto de Paisagismo Ana Vidal, Alessandra Almeida e Silvio Sant´Anna
  • Construção Oficons
  • Gerenciamento da Obra Ana Vidal, Alessandra Almeida e Silvio Sant´Anna
  • Projeto de Instalações Elétricas Ana Vidal, Alessandra Almeida e Silvio Sant´Anna
Topo