Casas

Inspirada na arquitetura Maia, casa com acabamento "cru" não tem janelas

Giovanny Gerolla

Colaboração para o UOL, em São Paulo

A inspiração para a casa Gabriela é a arquitetura Maia, dos povos nativos da província de Yucatán, no México. Construída em Mérida, a morada guarda o recato dos espaços internos, acompanhados por exteriores que mais parecem pequenas praças públicas. Mas o que mais chama a atenção nesta obra é o predomínio do cimento: com um sistema estrutural baseado em vigas, lajes, pilares e empenas laterais feitas com concreto armado e fechamento em blocos, o resultado é uma volumetria de ângulos retos, apesar de recortada, e voltada para si mesma.

Para dar mais expressividade à fachada, vez ou outra, aparecem elementos vazados. Dentro, pisos, paredes e forros que exibem acabamento único: uma mistura cimentícia polida e de tons claros, ideal para amenizar as altas temperaturas da região.

Geminada, a casa ocupa toda a largura do terreno e aproveita seu comprimento generoso com recuo à frente, para o abrigo de veículos e, nos fundos, tem área ocupada pelo amplo quintal bem protegido por altos muros. O objetivo era proporcionar à moradora um refúgio sereno e seguro, com conforto térmico e eficiência energética, além do baixo custo de construção e manutenção.

Detalhes mínimos

No programa de uso, um espaço social integra a cozinha às salas de estar e jantar. Atrás da cozinha (ou entre ela e o dormitório), esconde-se um banheiro que recebe luz e ventilação naturais por uma abertura situada sobre a bancada com cuba.

O dormitório é único, tem pé-direito duplo para ampliar o frescor e móveis desenhados pelos arquitetos que assinam a obra, executados com concreto armado usinado. O ambiente fica integrado a uma varanda interna, protegida pela fachada dos fundos composta de cobogós, que filtram a luz  do sol.

Para que o conforto térmico, acústico e luminoso fosse atingido, aberturas zenitais foram instaladas em outros pontos da casa, além do banheiro, e é por elas que o ar quente sobe, empurrado pelo ar fresco que invade a residência através dos blocos vazados de concreto. A solução dispensou o sistema de ar-condicionado.

Para evitar o cinza completo, os pequenos detalhes em cores fortes criaram a magia da casa: amarelo, na porta pivotante de entrada, ou rosa, na folha metálica que se abre para o quintal, deixam as passagens mais alegres. Para interiores mais leves, o azul está nos móveis de jantar e na rede na varanda. Assim, com apenas 85 m², a morada quase indígena preserva a privacidade de quem a habita e consegue se tornar um refúgio calmo e fresco sob o sol mexicano.

Ficha técnica

Casa Gabriela, Mérida, México

Projeto de Taco Taller de Arquitectura Contextual

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 300 m²
  • Área Construída 85 m²
  • Início do Projeto 2014
  • Conclusão da Obra 2015
  • Projeto Taco Taller de Arquitectura Contextual
  • Equipe Carlos Patrón Ibarra, Alejandro Patrón Sansor, Ana Patrón Ibarra e Estefanía Rivero Janssen
  • Projeto de Arquitetura Taco Taller de Arquitectura Contextual
  • Projeto Estrutural - Concreto Gabriel Vargas Marín
  • Gerenciamento da Obra Carlos Patrón Ibarra, Alejandro Patrón Sansor, Ana Patrón Ibarra e Estefanía Rivero Janssen
Topo