Vídeos

Na Costa Rica, casa apoia-se em pilares metálicos para avistar o Pacífico

Giovanny Gerolla

Do UOL, em São Paulo

Ela brota da copa das árvores como uma flor que tenta tocar a luz. A casa Flotanta, do arquiteto Benjamin Garcia Saxe, é um sonho infantil que se realiza na vida adulta, mas com muito estilo: quem nunca quis ter uma casa de madeira na árvore? E quem não gostaria de fazer as malas e se mudar para a Costa Rica, para viver há poucos metros do Oceano Pacífico?

Reunindo muitas quimeras, a casa deveria ser grande: são 300 m² de área construída, bem distantes do solo.  A construção fica em uma encosta coberta pela mata tropical e o trabalho – ou crime – de desmatar, escavar, erguer muros de arrimo e enterrar fundações e estrutura teriam acarretado tantos custos financeiros e sacrifícios ambientais, que a melhor solução foi levantá-la do chão.  A suspensão engenhosa foi feita com uso de algumas colunas metálicas esbeltas, que sustentam a distribuição dos espaços em um conjunto de três módulos, desenhados e executados lado a lado.

Casa-broto

O primeiro e mais amplo abriga uma sala de estar integrada com larga varanda coberta, cozinha e jantar. Os ambientes são abertos, com venezianas que se escancaram para alcançar a vista do sol nascente e o mar.

Depois, seguem os volumes que dão forma às duas suítes, levemente recuadas em relação à sala: uma no meio, de tamanho intermediário, e outra menor e mais reservada, sem tantas aberturas.

“A ideia de suspender a casa e separá-la em módulos favoreceu a entrada de luz e a ventilação natural dos cômodos, individualmente. Além disso, a vegetação local intercalada aos elementos arquitetônicos dá a verdadeira impressão de que a Flotanta flutua sobre a névoa da mata”, descreve o projetista.

Do lado de lá

Com o corpo debruçado ao Pacífico, o único cômodo que se volta para a encosta verde é o banheiro de uma das suítes. Mas sua privacidade não se furta à exuberância do verde: seu boxe dá para uma varanda com deck de madeira que, por sua vez, está limitada pela vegetação do morro.

O material que integra a Flotanta a sua realidade imediata, ou seja, à floresta, não poderia ser outro: a madeira está em tudo, do revestimento dos elementos estruturais aos forros, pisos, móveis, esquadrias, portas e janelas.

E a madeira se alia também ao bambu, que fecha paredes do extenso corredor principal de circulação entre os três módulos. Seus eixos integram-se às varandas que, cobertas – de novo, pela madeira estruturada pelo metal –, podem ser usadas até mesmo nos dias de chuva, não menos exuberantes nesse refúgio tropical.

Ficha técnica

Casa Flotanta, Puntarenas, Costa Rica

Projeto de Benjamin Garcia Saxe

Detalhes do projeto
  • Área Construída 300 m²
  • Conclusão da Obra 2013
  • Projeto Benjamin Garcia Saxe
  • Equipe Benjamin Garcia Saxe, Daniel Sancho e Soki So
  • Projeto de Arquitetura Benjamin Garcia Saxe
  • Projeto de Decoração Benjamin Garcia Saxe
  • Projeto Estrutural - Aço Sotela Alfaro Ltd
  • Construção Dante Medri
  • Gerenciamento da Obra Roger Navarro
Topo