Casas

Na paisagem serrana, cubo branco faz contraponto à natureza

 

 

Partindo do canto mais alto do lote e passando por uma grande pedra, foi erguido um muro verde em L que determina o limite de corte no terreno. A entrada principal, em cota intermediária, fica situada entre o muro e o volume cúbico da casa, implantada no segundo platô, dois metros abaixo, juntamente com a piscina. Entre o muro e a casa foi criada uma área interna, para a qual se abrem os espaços voltados para o fundo.

Além de orientar o acesso e demarcar os volumes anexos que ultrapassam o cubo (no térreo, a área de serviço e parte do estar, e no piso superior, parte do dormitório), o grande muro verde protege a casa de umidade, da visão dos vizinhos, e das chuvas do sudoeste. E junto com a piscina, define um quadrado em cujo centro está posicionado o volume da casa. O terceiro platô, situado cinco metros abaixo, foi ocupado por uma quadra de vôlei.

Platôs e espaço "semi-externo"

Na face leste, a casa tem grandes painéis de vidro voltados para a piscina. Essa direção foi a escolhida também por oferecer a melhor vista. As demais laterais do cubo possuem poucas ou nenhuma abertura. Na face voltada para a rua, destacam-se nove pequenas aberturas, agrupadas simetricamente de três em três. As janelas da casa se abrem para o recuo dos fechamentos de vidro, o espaço "semi-externo", como diz o arquiteto.

No térreo, esse espaço funciona como terraço com spa e, no piso superior, uma parte é a varanda da suíte e, a outra, um grande vazio. Uma pérgula de concreto recobre esse espaço intermediário, propiciando iluminação e ventilação, e assegurando segurança contra invasores.

Para fechar a fachada envidraçada, o arquiteto utilizou grandes portas metálicas automáticas de enrolar. Quando as portas estão suspensas, a claridade abundante penetra pelos grandes vãos envidraçados, permitindo a ampla visibilidade do exterior. Quando os moradores estão ausentes, as portas metálicas são fechadas, garantindo a segurança e restabelecendo a solidez do cubo. A construção foi de alvenaria convencional, com estrutura de pilares de concreto com vãos de 3,3 m, que dividem o cubo em nove partes, seis ocupadas pelos espaços internos e três pelas áreas de varanda. Na cobertura, foi usada laje plana impermeabilizada. (Éride Moura, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Casa em Petrópolis, Petrópolis (RJ)

Projeto de José Kós

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 4.200 m²
  • Área Construída 220 m²
  • Início do Projeto 2002
  • Conclusão da Obra 2003
  • Projeto José Kós
  • Colaboradores Márcia Duarte Eschholz
  • Projeto de Paisagismo José Kós
  • Construção João Ricardo de Albuquerque
  • Projeto de Instalações Elétricas José Kós
  • Projeto Luminotécnico José Kós
Topo