Últimas de Estilo de vida

Parede com tinta lousa é elemento central e interativo em apê despojado

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

Prateleiras metálicas, daquelas vistas em escritórios, formam o rack da sala de estar. No lugar de um par de poltronas tradicionais, cadeiras de praia. Com essas e outras soluções criativas e em conta, o apartamento alugado, localizado na cidade de Mogi Mirim (SP), ganhou personalidade. Desenhada pelo arquiteto Leandro Matsuda, a proposta leve e despojada se adequou ao estilo do inquilino – um jovem empresário, sem fugir do orçamento limitado, em torno de 12 mil reais.

O projeto de interiores do imóvel de 60 m² não envolveu nenhuma alteração estrutural e o investimento pôde se concentrar nos acabamentos e, sobretudo, no mobiliário porque a ideia do morador era compor o lar provisório com móveis e objetos de decoração que ele pudesse levar para a casa definitiva. Por exemplo, o sofá, a mesa e as cadeiras de jantar escolhidos são peças versáteis e boas, que poderão se encaixar na futura ambientação.

A parede interativa

Original do apartamento locado, o revestimento frio do piso das salas e quartos foi substituído por um laminado de madeira. A mudança que saiu por pouco mais de dois mil reais trouxe aconchego ao lar. Por outro lado, para economizar, todas as paredes que estavam pintadas de branco foram mantidas, com exceção da ampla superfície que conecta as áreas de estar e jantar.

A parede ganhou pintura com esmalte fosco do tipo tinta lousa e se tornou o elemento central no ambiente social. Interativa, a área passou a receber registros divertidos e coloridos feitos por amigos do morador, em forma de desenhos, assinaturas e recados.

À frente dela, o rack da TV foi montado com prateleiras de escritório, fabricadas em aço, que custaram 150 reais. Ainda no estar, outras soluções de baixo investimento foram aplicadas. As duas cadeiras de praia que fazem a função de poltronas foram combinadas a um tapete de borracha, com efeito "grama sintética".

“Esse tapete, na verdade, é um capacho, daqueles que você compra por metro quadrado, bem barato. A peça saiu uns 200 reais”, conta o arquiteto Leandro Matsuda. Atrás do sofá cinza, a composição de quadros, pratos decorativos e outros objetos, a maioria deles trazidos de viagens pelo morador, preenche toda a parede e arremata o clima despojado do espaço.

A fim de recepcionar com comodidade os convidados, junto à mesa de jantar, esta combinada a quatro cadeiras de design contemporâneo variado, Matsuda compôs um cantinho para o café, com um móvel que serve de adega e uma cafeteira. Definida por eletrodomésticos e armário sob a pia, todos brancos, a cozinha é aberta ao living, porém demarcada em relação à sala de jantar por um balcão vazado em madeira de demolição.

O projeto de interiores buscou ainda adaptar o apê alugado em um home office, atendendo assim ao pedido do inquilino, que trabalha em casa. Assim, um dos quartos foi transformado em escritório com uma mesa de trabalho e uma estante também produzida com as prateleiras metálicas. Para dar um visual personalizado ao ambiente, o arquiteto instalou suportes em uma das paredes para pendurar as guitarras do morador, que tem a música como hobby.

Ficha técnica

Apartamento LB, Mogi Mirim (SP)

Projeto de Leandro Matsuda Arquitetura

Detalhes do projeto
  • Área Construída 60 m²
  • Início do Projeto 2014
  • Conclusão da Obra 2014
  • Projeto Leandro Matsuda Arquitetura
  • Equipe Leandro Matsuda
  • Projeto de Decoração Leandro Matsuda Arquitetura
Topo