Casas

Projeto usa verticalidade para multiplicar espaços

Nas formas, cubo, quadrado, retângulo. Nas cores, as primárias: amarelo, vermelho, azul. Se tomarmos isoladamente os elementos do projeto criado pelo arquiteto Flavio Castro, de São Paulo, para uma residência no Horto Florestal, zona norte da capital, é clara a sua preferência pelos tons básicos e pelas linhas mais simples da geometria, que ganham valor quando contextualizadas em uma predominância de branco e transparências. "É um conceito de purismo em que os materiais são o que são, sem adornos. A madeira é madeira, o vidro é vidro. O desenho das formas geométricas é exato. Tudo isso deixa bem clara a concepção arquitetônica", define o arquiteto.

 

Castro diz que os valores agregados aos materiais, como o cromatismo, a textura e a transparência, foram escolhidos de acordo com as intenções de cada espaço. A cor amarela, aplicada nas vigas metálicas, reverencia o artista Piet Mondrian e a escola alemã Bauhaus – também referências na concepção do projeto. As demais cores primárias foram escolhidas para a decoração, pois seguem essa mesma corrente artística.

A estrutura pode ser descrita como um cubo que se apóia entre duas vigas metálicas que, além da sustentação, separam os três pavimentos da casa (térreo, superior e cobertura) do embasamento (garagem e serviço). Essas vigas vão de um lado ao outro da casa e são sustentadas por pilares circulares e pelos muros laterais. "A escolha pela viga metálica foi uma questão de estrutura, ela é duas vezes mais resistente do que o concreto", justifica Flavio Castro.

Entendendo os espaços

O programa da residência está distribuído em quatro pavimentos. O embasamento compreende a garagem para quatro carros, o ateliê de artes do proprietário e a área de serviço. Com planta livre, o piso térreo forma um espaço único de 88 m² e integra os ambientes sociais, como salas de lareira, estar e jantar, além da cozinha. No piso superior fica a área íntima com três suítes. Por fim, o teto-jardim é um belvedere de onde se tem uma vista magnífica da área verde do Horto Florestal.

Um dos pontos fortes da casa é a iluminação natural. As quatro fachadas são abertas e há ainda uma abertura zenital centralizada na laje do terraço-jardim, cuja luz atinge todos os pavimentos. "O grande desafio foi projetar tudo o que foi solicitado pelos proprietários – integração dos ambientes, ateliê de artes à parte, privacidade e valorização da paisagem que o bairro permite, por ser no horto. O resultado foi criar uma casa vertical – a planta foi organizada numa sucessão de lâminas horizontais livres – para multiplicar os espaços", conclui Flavio Castro. (Isabela Leal, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Casa Horto, São Paulo

Projeto de Flavio Castro Arquitetos

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno 226 m²
  • Área Construída 300 m²
  • Início do Projeto 2008
  • Conclusão da Obra 2010
  • Projeto Flavio Castro Arquitetos
  • Projeto Estrutural - Concreto Lozano Engenharia
  • Construção Flavio Castro e José Claudio Magalhães
  • Gerenciamento da Obra Flavio Castro e José Claudio Magalhães
  • Projeto de Instalações Elétricas Lozano Engenharia
Topo