Casa e decoração

Reforma transforma apartamento tradicional em um loft flexível e descolado

Quem entra no loft batizado “Bohemian Cyborg”, projetado e ocupado pelo arquiteto Guto Requena, em São Paulo, logo nota que está em um local pouco convencional. Em vez de paredes e portas, cortinas e uma lona plástica isolam ou integram os ambientes.

Também diferente do habitual, o apartamento não se organiza em cômodos fechados e monofuncionais, como quarto, sala ou cozinha. Os espaços são mutáveis e concebidos para amparar múltiplos usos. Móveis e divisórias podem ser facilmente rearranjados para personalizar e transformar os ambientes de acordo com a necessidade do seu morador.

Requena conta que o plano foi criaruma moradia híbrida, onde fosse possível trabalhar, morar e se divertir. “Se ao longo dos anos a família mudou e os hábitos das pessoas também mudaram, o espaço de morar deve certamente acompanhar tais transformações”, explica o arquiteto, que estuda tendências de design e novas formas de morar mais alinhadas à era digital. O projeto de interiores do apartamento, aliás, é produto da pesquisa de mestrado desenvolvida por Requena no Núcleo de Estudos de Habitares Interativos da Universidade de São Paulo (Nomads).

Com forte conotação experimental, o loft também é um reflexo de seu criador e usuário. Multifacetado, Guto Requena mantém um ateliê de design e arquitetura, é professor de projeto de arquitetura e design de interiores, apresenta um programa de televisão e ainda encontra tempo para atuar como DJ em clubes e festas.

Apartamento mutante

Com cerca de 80 m² de área, a planta original do apartamento reproduzia a tradicional configuração parisiense do século 19, que dividia a casa em áreas social, íntima e de serviços, com cômodos compartimentados e duas entradas distintas: de patrões e de empregados.

A reforma começou com a retirada de todas as vedações, elétrica, hidráulica e alguns revestimentos do antigo imóvel. Dessa forma foi criado um espaço vazio com planta em “U” que se organiza ao redor de um cubo delimitado por vigas e pilares de concreto e iluminado por lâmpadas fluorescentes. O elemento funciona como uma grande luminária no centro do espaço. As faces desse cubo são formadas por cortinas translúcidas atrás das quais encontram-se banheiro, cozinha e lavanderia.

O amplo salão pode ter múltiplas configurações, como loft, escritório, galeria de arte, cozinha gourmet, sala de reuniões e até mesmo como uma pista de dança. Basta manipular os fechamentos e mudar os móveis de lugar.

Tudo se transforma

Além da flexibilidade, uma característica marcante no apartamento é a inventividade aplicada na escolha de elementos de decoração e arquitetura. Muitas soluções, inclusive, foram motivadas pelo orçamento limitado. Um exemplo nesse sentido é a saladeira amarela de plástico transformada em pia para o lavabo.

Outra inovação está no banheiro, onde chama atenção a pia branca feita a partir de um tambor de gasolina de 200 litros abandonado. Batizada de “Narciso, cuidado para não se afogar!”, a peça desenvolvida por Guto Requena abriga um espelho e um sifão em seu interior.

Objetos de família distribuídos por todo o apartamento dão identidade e humanizam o espaço, que antes de tudo é um lar. Da mesma forma, pedaços da história do apartamento estão presentes graças à manutenção de alguns revestimentos e, principalmente, de elementos da estrutura de concreto mantidos aparentes. (Juliana Nakamura, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Bohemian Cyborg, São Paulo

Projeto de Estúdio Guto Requena

Detalhes do projeto
  • Área Construída 80 m²
  • Início do Projeto 2007
  • Conclusão da Obra 2007
  • Projeto Guto Requena
  • Construção Estúdio Guto Requena
Topo