Casa e decoração

Reformado, apartamento de 190 m² na Av. Paulista ganha ares contemporâneos

Bastou o arquiteto José Armênio de Brito Cruz, um dos titulares do escritório paulistano Piratininga Arquitetos, derrubar paredes para renovar a arquitetura e a ocupação deste apartamento, situado no alto de um edifício projetado em 1952 pelo modernista Abelardo de Souza. Com o novo desenho, o imóvel, que possuía três dormitórios, e já havia sofrido modificações anteriores, ficou com a circulação mais fluída, a distribuição dos cômodos racionalizada e o visual mais urbano.

Bem localizado, o apartamento, que estava relegado ao posto de "depósito de obras de arte" quando, recém-separado, o proprietário, dono de uma galeria em São Paulo, decidiu habitá-lo novamente, contratando o arquiteto José Armênio para traduzir as suas necessidades e as de seu filho em espaços atuais. O proprietário deu total liberdade para o amigo e colaborador de outras empreitadas, realizando um único pedido: "Por favor, faça o que quiser."

Dança dos ambientes

"O projeto foi pensado como um apartamento para dois rapazes, cada qual ocupando uma parte do imóvel, nas extremidades do andar", descreve José Armênio. A cozinha foi transferida de lugar, juntando-se a sala, e o espaço antes ocupado pela área de serviço abriga agora o quarto do rapaz. O cômodo do antigo bar acoplou-se à sala, e os dois quartos integrados deram lugar à bela suíte do galerista, com uma vista que alcança o Pico do Jaraguá (nada mal!)

Na área social, um volume construído com painéis de concreto armazena uma série de equipamentos, como despensa, biblioteca, geladeiras, televisão e banheiros. A cobertura metálica sobre o volume é uma calha técnica e espinha dorsal do apartamento. Dela partem calhas menores que distribuem as instalações elétricas e a iluminação pela casa.
 

  • Arte UOL

    Em amarelo, as paredes que foram alteradas pela reforma. A intervenção instalou uma suíte onde ficava a área de serviço, integrou a cozinha ao living e criou uma ampla suíte máster

O arquiteto criou soluções para harmonizar as esquadrias do prédio ao novo conceito do apartamento, "criando relações espaciais inusitadas, tanto interna quanto externamente", ressalta o arquiteto. No quarto do filho, por exemplo, foi instalada uma esquadria sobre a antiga apenas pelo lado de dentro, com o que a fachada permanece inalterada.

Em meio à demolição das paredes, o galerista começou a namorar uma arquiteta de interiores, e a quatro mãos, eles decoraram o apartamento. Parte do mobiliário, o galerista carregou consigo, outra parte comprou junto com a namorada. Os detalhes, eles foram construindo ao longo desse um ano. Mas uma coisa é certa: o apartamento vive em constante mutação com o vai e vem das obras de arte. (Silvana Maria Rosso, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Apartamento na Paulista, São Paulo

Projeto de Piratininga Arquitetos Associados

Detalhes do projeto
  • Área Construída 190 m²
  • Conclusão da Obra 2009
  • Projeto José Armênio de Brito Cruz, Fabiana Terenzi Stuchi (coordenadora)
  • Equipe Julie Trickett, Bruno Salvador, Leonardo de Araújo Cunha
Topo