Últimas de Estilo de vida

Vegetação irregular imita a natureza e dá vida a projeto em propriedade de 1.500 m²

Um ângulo de 360 graus de volumes e texturas verdes – que permitem efeitos visuais a cada instante e controle do microclima – marca o projeto paisagístico da arquiteta Christiane Ribeiro e do engenheiro agrônomo Rodolfo Geiser para uma residência em Tamboré, bairro nobre de Barueri, município do interior paulista, a 30 km de São Paulo.

“O nosso principal objetivo foi criar espaços verdes, indispensáveis para o bem-estar das pessoas, e, ao mesmo tempo, utilizar a vegetação de maneira irregular, como acontece na natureza”, explica a arquiteta Christiane Ribeiro. Para complementar essa proposta, foram escolhidos outros elementos para compor os espaços do jardim, como caminhos de dormentes de madeira, pérgulas e pisos diferenciados.

O paisagismo dessa residência contemplou toda área externa da propriedade de 1.500 m², onde foram projetados gazebo, deck, piscina com cascata, caminhos charmosos, pisos diferentes, iluminação, bancos, espelho d’água, pérgula e claro, árvores e vegetação exuberante e com perfume. “Por isso, não poderia faltar o cheiro marcante das damas-da-noite e a suavidade do jasmim”, diz Geiser.

A pedido dos proprietários foi instalado ainda um espelho d’água, projetado na entrada principal da casa, ao lado da pérgula que tem cobertura em vidro. “Neste local, buscamos um efeito bastante natural, utilizando espécies que se harmonizam com a água, como papiro, mini-ixora, ninféia-vermelha, falso-íris-roxo e algumas pedras como cacos de arenito amarelo e seixos”, conta o agrônomo.

Imitando a natureza

O desenho e o local da piscina buscaram dar a ideia de um lago no jardim, quando o ângulo de visão é o interior da residência. “Por isso ela tem forma orgânica e a borda infinita”, diz Christiane, enfatizando a semelhança com a versão natural de um lago. Toda revestida com pastilhas de vidro, a piscina é ladeada por um grande deck em madeira e o clássico piso de pedra são tomé branca. A cascata foi idealizada com um pequeno morro para dar a impressão que a água nasce dele, vindo das partes mais altas. “Nesse ponto, projetamos uma mureta com forma ligeiramente curva. Atrás dela fizemos um passeio estreito com arbustos que compõem uma cerca viva, já que nesta linha estamos praticamente na divisa do terreno”, conta a arquiteta. A água que cai da cascata, surgindo do morrote projetado, cai em num pequeno “lago” com 40 cm de profundidade – que é utilizado como piscina infantil – para depois chegar à piscina.

Como uma pintura

Esse paisagismo foi pensado e executado de maneira que o resultado criasse uma paisagem integrando plantas, piscina e elementos arquitetônicos, como a mureta de pedras, o piso e deck. “A proposta foi desenvolver uma paisagem mesmo, como se fosse um quadro, que pudesse ser visto de diversos pontos do interior da casa, e, logicamente, por quem passeia pelo jardim”, diz Geiser.

Tudo é muito natural nesse projeto. “Buscamos dar a ideia de um passeio agradável, rodeado por plantas, como no acesso ao lago com peixes, no passeio por trás da cascata e no sinuoso acesso da entrada principal, que integra o jardim e a casa”, conta Christiane.

A fachada da residência, que tem projeto arquitetônico de Hochheimer Imperatori Arquitetos, enfatiza certa privacidade na entrada principal e lateral. Para não esconder completamente a frente da casa, foi projetado um maciço de resedá-amarelo (Galphimia brasiliensis), moréia-bicolor (Dietes bicolor), flor de mel (Buddleia variabilis) e jasmim-do-imperador (Osmanthus fragrans) junto à calçada. Rente a casa, algumas azaleias e leia-rubra (Leea rubra), e forrações baixas como agapanto (Agapanthus umbelatus). No mais, um gramado impecável. “Como se trata de um jardim razoavelmente elaborado, requer certa manutenção, embora não seja extremamente custosa e complexa”, finaliza Rodolfo Geiser. (Isabela Leal, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Casa Tamboré, Barueri (SP)

Projeto de Rodolfo Geiser Paisagismo e Meio Ambiente

Detalhes do projeto
  • Área do Terreno Cerca de 2.500 m²
  • Área Construída Área do jardim: 1.500 m²
  • Início do Projeto 2005
  • Conclusão da Obra 2007
  • Projeto Rodolfo Geiser e Christiane Ribeiro
  • Construção Maria Lúcia Alalou e Lírios do Vale (manutenção)
Topo