Casamento

"Mulher misteriosa" alimenta rumores sobre estilista de vestido de Kate

AFP PHOTO/CARL COURT
Kate Middleton acena para admiradores e fotógrafos ao chegar ao hotel Goring, onde passará sua última noite de solteira, ao lado família, no centro de Londres (28/4/2011) imagem: AFP PHOTO/CARL COURT

Poucas horas antes da cerimônia de casamento entre o príncipe William da Grã-Bretanha e Kate Middleton, aumentaram as especulações sobre o vestido que a noiva real britânica usará para caminhar em direção ao altar da abadia de Westminster nesta sexta-feira em Londres.

Na quinta-feira, uma "mulher misteriosa" foi flagrada pelas câmeras de cinegrafistas e fotógrafos saindo de um carro e entrando furtivamente no hotel Goring, no bairro de Belgravia, onde Kate e sua família passaram a noite da véspera do "grande dia".

A mulher, que levava um objeto sob o casaco, usava um gorro de pele que especialistas em moda identificaram como sendo uma peça da grife do ícone da moda britânica Alexander McQueen, que morreu no ano passado.

O fato reforçou as suspeitas de que se tratava de Sarah Burton, diretora de criação da grife.

"Ela se abaixou assim que saiu do carro e correu para dentro do hotel o mais rápido possível. A coisa toda durou meio segundo", disse uma 'testemunha' ao tabloide "Daily Mail".

"Foi muito estranho. Se aquela pessoa não for Sarah Burton, prometo comer o meu chapéu."

A sete chaves

O mistério em torno do vestido - sobre o qual devem pousar os olhos de 2 bilhões de pessoas que, estima-se, assistam o evento - é guardado a sete chaves.

Milhares de pessoas se concentraram na frente da abadia de Westminster para estar entre as primeiras descobrir, ao vivo e com os próprios olhos, a resposta de tão bem guardado segredo.

Para driblar a imprensa e despistar os rumores, a estratégia tem sido criativa.

O ex-editor do tabloide "Daily Mirror" James Whitaker, por exemplo, disse suspeitar que fontes do próprio Palácio tenham se encarregado de distribuir propositadamente fotografias dos Middleton em frente à loja de Oldfield, para enganar os jornalistas.

Com as apostas recaindo sobre a grife de Alexandre McQueen, emergem também as interpretações sobre o simbolismo da escolha.

O próprio estilista foi uma figura "emergente" na sociedade britânica, criado no bairro nada glamouroso de Stratford, no leste de Londres, filho de um taxista e de uma professora de ciências sociais.

A imprensa dá como certo que o vestido da cerimônia religiosa, a principal, será de um britânico.

Entre outros 'cotados' para tanto destaque estão estilistas emergentes, como Sophie Cranston, Alice Temperley, Bruce Oldfield.

Entretanto, Kate usará três vestidos nesta sexta-feira: além do de noiva, uma segunda peça para a recepção e para o tão aguardado beijo na sacada do Palácio de Buckingham, e um terceiro para a festa noturna.

Especula-se que um dos vestidos usados por Kate poderiam ser da brasileira Daniella Helayel, que desenhou a peça usada pela noiva no anúncio do noivado.

A marca de Helayel, Issa, está entre as favoritas de Middleton.

Topo