Casamento

Anel solitário é aposta certeira para noivos que têm medo de errar

Mesmo que as tradições no noivado venham se adaptando aos novos tempos, e existam casais que já não fazem questão dessa celebração, alguns ainda gostam de marcar a etapa inicial do casamento de maneira especial. Com ou sem festa, a proposta feita vem sempre acompanhada de uma surpresa que agrada a todas as noivas: o sonhado anel.

Entre algumas versões históricas, reza a lenda que a celebração do noivado surgiu quando um arquiduque austríaco presenteou sua amada com um anel solitário de diamante, sugerindo a solidez do relacionamento. Desde então, homens de vários países e idades seguem com esse costume. Na maioria dos casos, o noivo é quem escolhe a joia para fazer surpresa à amada. Ele pode até consultar uma amiga ou parente da amada para não errar na escolha, mas cabe a ele a responsabilidade de agradar. Para os que têm medo, a sugestão é apostar nos clássicos.

O anel de modelo solitário, em que apenas uma pedra preciosa se destaca na aliança, é feminino e delicado, servindo também para substituir o aparador (aquele anel mais justinho que não deixa a aliança cair do dedo) e ser usado com a aliança após o casamento. Versátil, ele aparece no mercado confeccionado de maneiras diversas, combinando pedra e materiais finos. Na hora da escolha, é importante lembrar o estilo e as preferências da futura esposa para aumentar as chances de acerto.

Veja, a seguir, uma seleção de aneis que seguem estilos clássicos, como o solitário.

Topo