Casamento

Kate não prometerá "obediência", mas "amar, confortar e respeitar" William

Kristy Wigglesworth/AP
Kate Middleton contou com a ajuda do príncipe Charles para escolher as músicas que tocarão na cerimônia de casamento imagem: Kristy Wigglesworth/AP

Londres, 28 abr (EFE).- Kate Middleton não vai prometer "obediência", mas "amar, confortar e respeitar" o príncipe William quando pronunciar nesta sexta-feira os votos matrimoniais na abadia de Westminster.

O casal vai usar para cerimônia um Livro de Oração Comum da Igreja da Inglaterra.

Também se soube que a noiva entrará de braço com seu pai pelo corredor central da abadia aos sons dramáticos do hino da coroação, "I was glad", do compositor britânico Charles Hubert Hastings Parry, inspirado no salmo 122.

Parry compôs a música para a coroação do rei Eduardo VII na abadia de Westminster, em 1902, mas é um hino muito popular em casamentos.

Os recém-casados deixarão a abadia ao som de outra peça muito conhecida, a marcha Crown Imperial (Coroa Imperial), do também britânico William Walton, que foi executada no casamento do príncipe Charles e Diana, os pais de William.

Durante a cerimônia também será escutada a música de outros famosos compositores britânicos do século 20 como Edward Elgar, Vaughan Williams e Benjamin Britten.

Assim soarão a sonata para órgão opus 28 de Edgar e "Rhosymedre", de Vaughan Williams, composições vinculadas também ao casamento de Charles e Diana.

O príncipe e Kate quiseram também homenagear o casamento do pai de William, o príncipe Charles, e sua madrasta, Camilla, incluindo uma composição de Maxwell Davies, intitulado "Farewell to Stromness", que soou naquele casamento.

Kate é uma apreciadora de música clássica, mas nesta ocasião recebeu a ajuda na seleção de seu futuro sogro, o príncipe de Gales. Os dois passaram um longo tempo juntos escutando canções clássicas em seus i-Pods, contou um porta-voz do palácio de Saint James.

Catherine decidiu incluir ainda uma popular canção do folclore de origem isabelino, "Greensleeves", à qual já fez referência William Shakespeare em sua comédia "As alegres comadres de Windsor".

O toque de modernidade será dado pela fanfarra especial "Valiant and Brave", lema do esquadrão de busca e resgate da Royal Air Force, ao qual pertence o príncipe de Gales, composta pelo comandante Duncan Stubbs, principal diretor de música dessa força.

A fanfarra, de meio minuto de duração, será tocada por sete trombetas e um tambor da banda central da Royal Air Force no momento em que os noivos iniciem seu caminho em direção à saída pela grande porta ocidental da abadia.

O compositor britânico John Rutter escreveu especialmente para a ocasião uma peça que é um presente do deão e da própria abadia de Westminster.

Kate escolheu também uma obra de outro compositor contemporâneo, Paul Mealor, que estudou na ilha galesa de Anglesey, onde fica a base o esquadrão da RAF ao que pertence o príncipe e onde o casal viverá os primeiros anos.

O príncipe William é vice-patrono da união de rugby de Gales, por isso também será executado "Guide me, O Thou great Redeemer", atualmente mais conhecido como o hino do rugby galês "Bread of Heaven".

Topo