Casamento

Noivas roqueiras podem usar vestidos escuros e modelos curtinhos, afirmam estilistas

Cecília Leite

Do UOL, em São Paulo

As noivas roqueiras não precisam seguir rigorosamente a tradição e podem imprimir o estilo do gênero musical preferido no casamento e, principalmente, nos vestidos que elas vão escolher para casar. Inspirado pelo Dia Mundial do Rock, data celebrada nesta sexta-feira (13), o UOL Casamento consultou especialistas no assunto, que mostram que não é difícil levar referências do rock para o vestido do "grande dia".

Em março de 2010, a escritora Mayra Dias Gomes casou com o ator e cantor canadense Coyote Shivers. A cerimônia aconteceu em Las Vegas, nos Estados Unidos, “sem frescura nenhuma”, segundo ela. “Fomos para Las Vegas e nos casamos ao som de ‘Dance Me To The End of Love’, de Leonard Cohen. Eu mesma montei meu vestido na noite anterior. Não houve maquiador, cabeleireiro, nem nada do tipo. Minha madrinha de casamento foi a Barbara Ramone, viúva do Dee Dee Ramone, uma das melhores amigas do Coyote. Depois da cerimônia, a banda do vocalista finlandês Michael Monroe tocou no Hard Rock Hotel”, relata Mayra.

No entanto, não é preciso ir muito longe para fazer um casamento roqueiro. No ateliê do estilista Samuel Cirnansck, na capital paulista, é possível encontrar alguns modelos com as barras desfiadas, que lembram as calças jeans rasgadas dos estilosos integrantes das bandas de rock. “O detalhe dá uma aparência de tecido gasto pelo tempo. Essa é uma linguagem de festa com acabamento mais rock and roll", explica o estilista de moda festa.

  • Dana Beery/Arquivo Pessoal

    A escritora Mayra Dias Gomes optou por um modelo bem curto para o casamento em Las Vegas


Rendas, flores, laços e pedrarias também são as apostas de Cirnansck. O estilista acredita que as aplicações tornam o vestido mais marcante e ainda sugere combinar detalhes em preto com branco, rosa com preto e branco com dourado. "Essas cores ajudam a dar mais peso ao visual e ainda sustentam a essência de ser uma noiva verdadeira", conta.

Mulheres que estão acostumadas a usar peças em tons escuros; preto total e acessórios, como tachinhas, rebites e “spikes”, não precisam ter medo de chocar a família e os convidados, já que o importante é se sentir linda, levando em conta o estilo do dia a dia. "A mulher precisa se sentir noiva, a escolha do vestido tem de ser dela", diz a estilista Solaine Piccoli, que também já criou alguns modelos roqueiros.

Para ela, um visual “rocker” é algo ousado e moderno e "quem deseja seguir o estilo pode aplicar fitas de cetim preto no vestido, voilettes com algum toque de cor escura e detalhes em renda preta". No entanto, a estilista diz que, se a noiva quiser usar um vestido todo preto, é preciso tomar cuidado para não exagerar. "É mais difícil ousar com uma cor intensa. Pode acabar não parecendo uma noiva", alerta.

Quando o assunto são os modelos mais curtinhos, os dois designers de vestidos aprovam a escolha. O que não pode é escorregar na etiqueta. "Na hora da festa, é mais adequado", diz Solaine, que acredita que o curto não cai bem na cerimônia --algumas igrejas nem permitem noivas com decotes ousados. Para Samuel, o que garante o sucesso de um modelo curtíssimo é a atitude da noiva. "É preciso ter personalidade para usar um vestido curto sem perder a elegância", finaliza.

Topo