Casamento

Terço torna o visual da noiva mais tradicional e puro, mas é preciso coerência na hora de usar

Cecília Leite

Do UOL, em São Paulo

Para simbolizar a pureza e importância do momento, muitas noivas escolhem entrar na igreja com um terço em mãos. No entanto, se a mulher realmente não acredita na simbologia e função do item religioso, é melhor dispensá-lo e optar apenas pelo buquê. Segundo a consultora de imagem Ana Cury, o perfil da noiva que faz questão do terço é sempre mais tradicional e religioso. "Usar um terço apenas porque está na moda não é legal. Na minha opinião, a noiva precisa ser coerente com o que ele representa. O terço deve estar presente no casamento porque a noiva acredita nele", diz.

Existem várias possibilidades de carregar o acessório até o altar -pode ser usado enrolado na mão ou no buquê e até escondido dentro da mão-, mas não é preciso seguir uma regra, visto que ele possui um significado de fé. Para Ana, a melhor maneira de usar o terço é enrolado na mesma mão com que a noiva vai carregar o buquê. "Ninguém reza para mostrar para os outros, então tudo bem se a noiva não mostrar o terço", diz. Se esse for o seu caso, um terço pequeno é o suficiente. Mas, se a noiva quer demonstrar sua fé, modelos maiores, de madrepérola, são os mais indicados. "Os modelos feitos com cristal brilham muito e, por isso, devem ser usados apenas por quem realmente deseja exibir o terço", diz Ana Cury.

Para economizar, não é preciso comprar um terço: é possível alugar uma peça bem elaborada e usá-la apenas no dia do casamento. "No meu ateliê, quem aluga o terço acaba pedindo para comprar. Na hora, a cliente não acha uma boa ideia, mas, depois do casamento, ela sente que ele possui um significado forte e prefere guardá-lo em casa", diz Rosana Chinche, designer de joias. Sem dúvida, esse terço em especial passa a carregar uma forte simbologia que vai muito além da cerimônia religiosa e envolve o casamento em si.

Além de receber pedidos exclusivos, Rosana ainda fica atenta à fé de cada uma das noivas. "Os terços feitos com pedras naturais, como quartzo branco, são os favoritas das clientes. Quando lapidado, o quartzo brilha de um modo diferente do cristal bijuteria e dá um efeito bem bonito. Para completar, uso a medalha com o santo de devoção da noiva", explica. A sugestão da designer é usar uma medalha de Santo Antônio, conhecido por ser casamenteiro.

No entanto, Ana Cury lembra que também vale aproveitar o terço que passou por várias gerações. "A noiva pode usar o terço usado pela mãe no casamento dela e que também pode ter sido usado pela avó, por exemplo. Mas é gostoso escolher um terço novo. Depois, ele passa a ter um significado único e especial, que vai ser passado diretamente para a próxima geração", finaliza.

Topo