Vestido de noiva

Figurinistas e estilistas trabalham em conjunto para criar vestidos das noivas de novela

Natália Zonta

Do UOL, em São Paulo

Não importa se é mocinha ou vilã. Quando uma personagem de novela sobe ao altar, quem sonha em entrar na igreja de branco volta os olhos para o vestido que aparece na telinha. E, assim como acontece na vida real, os modelos são escolhidos com base no estilo e na personalidade da protagonista da festa. Inclusive, para chegar à peça ideal, aquela que melhor retrate a noiva e a cerimônia ficcionais, é comum que estilistas reconhecidos trabalhem em conjunto com os figurinistas das tramas, como aconteceu recentemente em "Gabriela".


A peça rendada, usada por Juliana Paes, foi assinada pela estilista carioca de moda festa Lethicia Bronsein, praticamente uma especialista em noivas de folhetim. “Já fiz 16 vestidos para as tramas da TV”, afirma a designer. Ela conta que tudo começa com o "briefing" que recebe da produção. "Há muita troca, principalmente de dicas do que faz efeito na tela", diz. O vestido de "Gabriela", por exemplo, foi feito em duas semanas e tinha de ter um ar vintage e sexy, mas sem ser vulgar.

Segundo a figurinista da trama das onze, Labibe Simão, o trabalhou foi feito em parceria com a equipe da novela e o vestido sofreu algumas alterações para ganhar mais características dos anos 1920, período no qual se passa a novela inspirada no romance de Jorge Amado. “Fizemos uma adaptação da manga e dos bordados. Sempre trabalhamos em conjunto”, diz. Para ela, a melhor opção quase sempre é fazer algo exclusivo para a história. “Só vale optar por um modelo pronto se ele tiver exatamente a cara da personagem”, completa.

O último modelito que brilhou no horário nobre foi o vestido usado por Nina (Débora Falabella), na novela “Avenida Brasil” (Globo). Feita pela própria produção do folhetim, a peça tem um ar vintage, para parecer que foi encontrada no lixão (ambiente onde se passa parte da trama), e ainda possui detalhes feitos de materiais reciclados. A grinalda foi a mesma usada pela personagem no início da novela, quando Nina se “casou” com Batata -o Jorginho (vivido por Cauã Raymond), ainda criança. O mesmo aconteceu com o modelo usado por Paloma Duarte, em "Máscaras" (Record). O vestido de um ombro só e feito de cetim foi confeccionado pelo figurinista da novela, Edson Galvão.

Modelos prontos
Em “Avenida Brasil”, as noivas glamourosas foram representadas por Alexia, personagem de Carolina Ferraz, que por duas vezes tentou se casar na trama das nove. Com um estilo mais sofisticado, a terceira mulher de Cadinho (Alexandre Borges) usou peças assinadas pelas concorridas (e caríssimas) grifes Elie Saab e Vera Wang --as duas já compradas prontas. Marie Salles, figurinista de “Avenida Brasil” justifica a escolha das grifes estrangeiras. “O ponto de partida é a personalidade da noiva e o que está escrito no texto, como, por exemplo, o tipo de cerimônia”, explica Marie.

Para Gloria Coelho, também acostumada a ter suas peças em produções televisivas, noiva de ficção não é coisa de outro mundo. “A novela utiliza peças reais para compor seus personagens. Cabe à figurinista escolher o que fica melhor.” Em “Cheias de Charme”, Isadora (Giselle Batista) se casou com um modelo de Gloria Coelho escolhido por Gogóia Sampaio, figurinista da produção. Segundo ela, a escolha foi feita porque “a personagem é muito antenada e a grife Gloria Coelho representa status de classe e bom gosto”.

Emplacar um modelo em uma novela também é uma grande vitrine para os estilistas. Samuel Cirnansck, conhecido por ser o designer eleito por famosas como Juliana Paes e Gracyanne Barbosa na hora do “sim”, também já esteve representado na telinha. Em “O Astro”, Lili, personagem de Alinne Moraes, casou-se com um modelo de sua coleção verão 2012. “Depois de o vestido ser usado por celebridades ou aparecer em uma novela, ele sempre passa a ser procurado pelas clientes”, revela Cirnansck.

No álbum abaixo, veja quais são os vestidos de noiva de novela que mais estão fazendo sucesso na Rede Globo, segundo o Centro de Atendimento ao Telespectador (CAT):

Topo