Casamento

Sapatilha é opção chique e confortável para presentear as convidadas do casamento

Cecília Leite

Do UOL, em São Paulo

Nem sempre é fácil ficar toda a festa de casamento em cima de um salto. Os pés menos acostumados acabam sentindo os efeitos rapidamente e ainda podem ser os responsáveis por não permitirem um aproveitamento total do momento. Uma opção para amenizar as dores são os já conhecidos chinelos de dedo, bastante presentes em festividades. No entanto, recentemente, eles ganharam uma nova concorrente: as sapatilhas.

"A hora de descer do salto é uma parte bastante esperada pelas convidadas", diz Camila Nunes Piccini, autora do blog de casamento “Say I Do” e diretora da Casar. "Oferecer calçados mais confortáveis ainda vale como lembrança do casamento para as mulheres", explica Camila. Com isso, o orçamento da festa ainda pode ser enxugado, já que o mimo terá utilidade dois em um. O par de sapatilha dobrável custa cerca de R$ 15, mas é possível encontrar marcas que vendam por R$ 11.

Algumas noivas optam por encomendar o presente apenas para as madrinhas. Também dá para comprar kits práticos, que contém um par de sapatilhas, sacolinha para guardar os saltos dispensados, elástico de cabelo e um saquinho para guardar todos os itens. No entanto, se quiser presentear as suas convidadas com sapatilhas, é preciso pedir com antecedência, para não ficar sem os pares. Três meses de antecedência já é um bom prazo.

Calçados personalizados
Assim como os chinelos, as sapatilhas também podem ser totalmente personalizadas, mas sem perder a elegância. "As sapatilhas são mais bonitas para usar em uma festa que exige um visual elaborado, como o casamento", explica Camila, que assume também gostar das rasteirinhas. No entanto, a blogueira atenta para um detalhe: “no inverno, quando as convidadas vestem meia-calça e só têm como opção um chinelo, pode ser complicado. A sapatilha casa bem com as estações mais frias do ano".

Quando enroladas ou dobradas, as sapatilhas maleáveis podem ficar menores do que uma latinha de energético e a personalização da palmilha --com o nome dos noivos e a data do casamento, por exemplo-- não interfere no visual do acessório, já que os nomes ficam escondidos quando a dona calça. "A ideia é oferecer o presente para a convidada curtir a festa e, depois, levar na bolsa, para emergências do dia a dia. É um presente completo", explica Ana Bruno, proprietária da loja Pimenta Morena, especializada em sapatilhas dobráveis para eventos.

Já os modelos da loja Libertà não são dobráveis, são como uma sapatilha normal, o que reforça ainda mais o presente. "Elas não são descartáveis", avisa a proprietária Caroline Donati, que completa: "é uma maneira de presentear de forma elegante e diferente".

Par da noiva
As noivas que prezam pelo conforto não precisam ficar de fora dessa, mas vale diferenciar o par do das convidadas. "Para continuar em destaque, a noiva pode pedir uma sapatilha diferenciada, forrada com o tecido do vestido, com a mesma renda ou de uma cor diferente da cor das convidadas", diz Ana.

O momento ideal para a troca acontecer é antes de começar a banda ou o DJ da festa. Assim, todas as convidadas podem descer do salto e se divertir sem correr o risco de escorregar e se machucar enquanto estão dançando. "Foi depois de cair e me machucar em uma festa que eu comecei a investir no mercado das sapatilhas para eventos", lembra Ana. "Ninguém merece que isso aconteça, é muito triste."

As sapatilhas ainda acabam protegendo mais os pés contra pisões, já que escondem os dedos, mas é importante optar por modelos antiderrapantes. Para evitar surpresas, uma boa ideia é pedir para o fabricante enviar um par para testar em casa. Teste em um piso parecido com o do local da festa de casamento e, depois, tente no mesmo piso com água, para simular o clássico chão molhado de bebidas que acontece nas festas mais agitadas. Se o par segurar bem, pode confiar.

Numeração
Assim como os chinelos, as sapatilhas exigem uma grade de numeração para atender todas as mulheres que vão receber o presente. Os pares podem ser divididos em tamanhos, para ficar mais fácil --P,M e G, por exemplo. No entanto, a numeração varia de uma marca para a outra.

Para não errar, é interessante checar se elas são macias o suficiente para um possível deslize na escolha do tamanho dos pares. "Com chinelos, as pessoas podem usar até duas numerações abaixo ou acima", alerta Caroline Donati, da Libertà.

Topo