Cerimônia

Conheça tendências e cliques indispensáveis para o álbum de casamento

Gabriela Sampaio Fergusson

Do UOL, em São Paulo

Um casamento inesquecível acontece quando diversos fatores se desenrolam como devem: o vestido é perfeito, a cerimônia é emocionante, o bolo e bufê são deliciosos e a festa é de arromba. Mas de nada adianta tanta expectativa e investimento se o momento também não for registrado apropriadamente. Por isso, para você não correr riscos nesta ocasião tão especial, o UOL Casamento conversou com três fotógrafos para saber das tendências mais procuradas pelas noivas e também sobre o que não pode faltar em seu álbum.

Espontâneo, clássico e único
Cliques espontâneos, sem interferência do fotógrafo, e registros de detalhes inusitados fazem parte do estilo fotojornalístico, que já aparece há algum tempo nos álbuns de casamento. Mas para Fabio Laub, fotógrafo de São Paulo que trabalha há 15 anos no ramo, não é recomendado ter um exagero no fotojornalismo e desprezo pelas fotografias clássicas de casamento. Deve haver um equilíbrio no álbum.

“Os casais só queriam coisas modernas --pés, mãos e disparo incessante da câmera-- e esqueciam do essencial: uma foto posada da noiva de vestido ou com familiares. Quando o álbum chegava, elas percebiam a falta dessas imagens mais tradicionais, mas já era tarde demais.”

Poses que não podem faltar

Mais do que para os noivos, um álbum de casamento é também para a família toda e uma lembrança para gerações posteriores. Por isso, independentemente do estilo, existem poses não podem faltar nele. São elas:
• Noiva com vestido bem montado;
• Beijo dos noivos;
• Noiva e pai (ou quem a trouxer ao altar); e,
• Fotos com pais, padrinhos e familiares.

Passada a empolgação apenas com o fotojornalismo, Laub vê agora espaço para ambos nos álbuns, o que torna o registro ainda mais completo. Permanece a leitura própria e a criatividade do fotógrafo, mas sem esquecer do apuro técnico. “O estilo clássico não tem só a ver com pose, mas também com cuidado com a luz e a composição das fotos”, explica.

“Procuro fazer cliques artísticos mesmo na fotografia posada”, conta Jared Windmüller, de Florianópolis (SC). “Quando os noivos estão  apenas se beijando,eu  tento fazer uma graça para interrompê-los. Aí a risada aparece naturalmente. Essa é a foto que eu busco.”  

Na opinião de Marco Costa, fotógrafo de São Paulo, é possível usar com sutileza elementos de editoriais de moda no clique do casal, em especial da noiva. Mas, para ele, novidade mesmo está no ‘storytelling’ (“é como os americanos chamam o ato de fotografar com o álbum em mente”). “A ideia é que as pessoas vejam a história do que aconteceu naquele dia, com começo, meio e fim.”

Alternativas
Outra maneira de buscar a criatividade nos álbuns de casamento está em sessões temáticas, que extrapolam a cerimônia, como o já conhecido pré-casamento, ou “Dia de Namoro”, com fotos do casal no dia a dia.

Há dois anos, no entanto, Laub começou a fazer o chamado first look”, que, aos poucos, cativa mais e mais casais. Neste estilo bastante popular nos Estados Unidos, a fotografia captura o exato momento em que os noivos, já prontos para o casamento, se veem pela primeira vez, longe de todos, algumas horas antes da cerimônia.

Para os brasileiros mais supersticiosos a ideia pode parecer um pouco estranha. Mas Laub argumenta: “A noiva passa um longo período se preparando para o noivo. Mas, quando ela entra igreja o nervosismo e a movimentação são tão grandes que ele não consegue aproveitar o momento”.

Windmüller ainda cita o estilo “bridal session”. “É bem mais leve que o Trash the Dress e está com tudo! As fotos são tiradas no dia da prova de maquiagem. A noiva pode alugar um vestido para a ocasião ou usar o oficial. Daí vamos para locações maravilhosas para fazer fotos artísticas”, conta. As imagens podem decorar a recepção e até mesmo a residência do casal.

Topo