Casamento

Casamento na praia pode sair mais em conta que na cidade; aprenda organizar

Natália Zonta

Do UOL, em São Paulo

Casar com os pés na areia e o mar no horizonte é o sonho de muitas noivas que fazem questão de ter a natureza como parte da cerimônia. Mas organizar uma festa ao ar livre requer planejamento dobrado, principalmente por causa das condições climáticas, escolha de fornecedores locais e do deslocamento dos convidados.

Organizadores de eventos, especialistas em preparar casamentos à beira-mar, indicam o período que vai de março a novembro como o melhor para marcar a cerimônia. “O mais indicado é fazer a festa durante a baixa temporada, quando há menos turistas, preços melhores e mais opções de hospedagem e restaurantes”, diz Vanda Asfor, que atua principalmente em Maresias, praia do litoral norte de São Paulo.

Horário
Outro ponto a ser levado em consideração é o horário da cerimônia, por causa do calor e excesso de luz. Segundo Paula Rauch, da empresa Eventos no Litoral, que atendo o litoral norte de São Paulo e o sul da Bahia, a orientação é que a entrada da noiva seja marcada para às 16h.

“Os convidados costumam ser pontuais, já que a maioria estará hospedada no local da festa ou nas proximidades. Também é importante saber o horário exato do pôr do sol do mês escolhido, pois as fotos após a cerimônia ficam ainda mais bonitas. Dessa maneira, a festa também começa com o anoitecer, o que torna o evento ainda mais gostoso”, explica.

Condições climáticas
Como o tempo é muitas vezes imprevisível, deve-se considerar a possibilidade de chuva. Por isso, ao escolher esse tipo de cerimônia, é sempre preciso ter um plano B ou recomendar um serviço de previsão de tempo personalizado. “Casar-se na praia pressupõe a necessidade de uma cobertura, caso o local não seja coberto. Os toldos são feitos de materiais transparentes, exatamente para que o contato com a natureza não seja prejudicado”, explica Paula. “Quando os noivos querem a parte religiosa na areia, geralmente, duas horas antes do evento, avaliamos o tempo para dar andamento à montagem.”

Decoração
Ambientação e cardápio também estão na lista de preocupações dos noivos. Flores sensíveis ao calor e pratos pesados devem ser deixados de lado. “Helicônias, alpínias e antúrios costumam se adaptar bem ao calor. Quem prefere uma decoração mais romântica pode escolher por rosas, alstroemérias e gypsophilas”, aconselha Vanda Asfor. As cores mais vibrantes também combinam com a ocasião, assim como os móveis de madeira.

os pratos que costumam fazer sucesso no litoral e no verão são justamente os que levam os produtos mais frescos da região: peixes e frutos do mar. Combinações com maionese devem ser descartadas, já água de coco e sorvetes são os complementos mais pedidos (e adorados) pelos convidados. As pequenas porções, conhecidas como "finger foods", combinam perfeitamente com a ocasião.

Lembrancinhas
Se o mês escolhido estiver quente demais, recomenda-se distribuir lembrancinhas “frescas”. “Em caso de calor, é de bom tom entregar leques, chinelos, sombrinhas e servir água de coco na recepção dos convidados”, aconselha Mayra Paris, da Paris Assessoria, que também realiza casamentos no litoral norte de São Paulo.

Convidados
Depois de pensar no tempo, na decoração e no cardápio, quem decide trocar alianças longe de casa tem mais duas tarefas: a locomoção e a hospedagem dos convidados. Antes de tudo, é importante enviar o "save the date" do evento com bastante antecedência, de seis meses a um ano, para os convidados se organizarem. Dependendo do orçamento, os noivos podem oferecer transporte e diárias, mas isso não é uma regra.

“Não é obrigação pagar pela hospedagem de todos, mas é de bom tom indicar hotéis próximos ao local da festa e até negociar tarifas mais em conta”, explica Mayra Paris. E completa: “Muitas vezes, quando a festa é no hotel onde todos vão ficar, os noivos pagam uma parte da hospedagem para amenizar os valores para seus convidados”. Em alguns casos, os noivos pagam apenas pela hospedagem dos familiares mais chegados.

Logística
Paula Rauch também lembra que, para economizar, os noivos devem dar prioridade aos fornecedores locais. “O ideal é contratar os serviços da região para viabilizar a logística da festa, como também diminuir despesas com frete, hospedagem e transportes de todos os envolvidos no evento.”

Segundo as especialistas consultadas, no fim, o valor investido na cerimônia vai depender da quantidade de convidados. “Quando falamos do litoral de São Paulo, a festa acaba saindo mais barata do que uma realizada na capital”, diz Vanda. No entanto, “é preciso ficar atento aos gastos com coberturas, banheiros químicos e outros itens de infraestrutura”, finaliza.

Topo