Cerimônia

Assessores de casamento revelam quais foram os pedidos mais inusitados

Karla e Kristina Gonçalves/Divulgação
Em meio a uma queima de fogos, o casal Wanessa Cezar e Leandro Alves chega à festa de casamento em uma lancha imagem: Karla e Kristina Gonçalves/Divulgação

Por Simone Cunha e Thaís Macena

Do UOL, em São Paulo

Subir ao altar, colocar as alianças e trocar juras de amor eterno continuam sendo o desejo de muitos casais. No entanto, as cerimônias tradicionais, que seguem todos os protocolos, atualmente vêm disputando espaço com solenidades inusitadas, que surpreendem pela criatividade e, até mesmo, pela ousadia dos noivos.

Em um casamento organizado pela assessora de eventos Solange Carmel, de São Paulo (SP), a luxuosa limusine ou o pomposo automóvel antigo --ambos bastante comuns em festas de matrimônio-- foram trocados por motos barulhentas. “Os noivos faziam parte de um motoclube e a Harley Davidson [lendária fabricante de motocicleta] era parte da vida e da história deles. Então, eles decidiram chegar à festa pilotando”, conta. Para transformar o sonho em realidade, Solange teve de trabalhar muito: uma das providências foi instalar uma rampa na entrada do salão.     

Em outro casamento, a noiva foi além: planejou a chegada à igreja em uma moto. “Apostamos em um percurso curto, pois o receio era o vestido com cauda e renda enroscar”, diz Renata Queiroz, da Matrimoni Assessoria, de São Paulo (SP). O pai pilotou a máquina, enquanto ela se equilibrava de ladinho, na garupa. “Foi preciso deixar a porta da igreja aberta para os convidados acompanharem a chegada e ouvirem o barulho. Houve uma agitação e muitos quiseram fotografar. Ao final da cerimônia, os noivos também foram embora de moto. Porém, na esquina, um carro os aguardava”, detalha.    

E se moto parece algo inovador, imagina os noivos chegando em uma lancha? Esse foi o pedido feito por um noivo à assessora de eventos Ângela Rodrigues, do Espírito Santo (ES). “A noiva hesitou um pouco, mas acabou topando. Nosso maior medo era danificar o vestido. O píer era alto, sem contar que, se estivesse chovendo na data, os planos iriam, literalmente, por água abaixo”. Para evitar contratempos, foram montados dois planejamentos, um prevendo o percurso de carro. “Mas o tempo colaborou, não choveu e o casal chegou de lancha, em meio a uma queima de fogos”, diz Ângela.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

Trajes nada tradicionais
Fraque, smoking, vestido com véu e grinalda? Muitos noivos optam por sair completamente do convencional no grande dia. Em cerimônia organizada pela Numinis Assessoria, de São Paulo (SP), o futuro casal decidiu fazer um casamento no estilo medieval e se vestiu exatamente como os noivos daquela época. “Os pais estavam fantasiados de rei e rainha com coroa. A noiva trocou o vestido branco por um modelo de princesa e o noivo usou traje de príncipe, com espada na bainha, inclusive”, conta o diretor executivo da empresa, Welington Ferreira. E, ao final da celebração, ele a puxou pela mão e ambos saíram correndo, como se estivessem fugindo. “Nas escadarias da catedral, os convidados foram surpreendidos por pirofagistas cuspindo fogo, enquanto o casal já estava em uma carruagem com cavalo branco, pronto para se dirigir ao local da festa”, lembra Ferreira.

Em um clima menos épico, a assessora Priscila Pereira Borba de Melo, do Criativa's Cerimonial e Assessoria de Eventos, de Recife (PE), recorda um casamento em que os noivos decidiram apostar em fantasias de super-heróis. “Após a cerimônia religiosa, os noivos e os padrinhos tiraram as vestimentas formais e surgiram com as fantasias: a noiva era a Mulher Maravilha e o noivo, o Super-Homem. Então, ao som de uma música que fala dos personagens, todos entraram correndo no salão, entoando um grito especial e dançando”, diz Priscila.

E se usar fantasias é algo inusitado, há quem prefira dispensar as vestimentas por completo. Como ocorreu em um casamento, realizado em uma praia de nudismo, em Florianópolis (SC), em que noivos e convidados participaram da celebração totalmente nus. Quem fala desse pedido é a assessora de eventos Priscila Segovia, de São Paulo (SP). “A cerimônia foi realizada em uma cabana, com cerca de 30 pessoas, todas sem roupa. Os pais são hippies e participaram sem constrangimento”, destaca. Ao final, os noivos seguiram para a lua de mel em uma lancha.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]

Desejo via ponte aérea
Já Gabriela Carvalho Dias, autora do livro ‘Histórias inesquecíveis de casamento’, do Rio de Janeiro (RJ), conta a história de uma noiva que exigiu um buquê igual ao da princesa Letizia, da Espanha, todo montado com flores europeias, entre elas o miguê. “Importamos as flores, que chegaram de avião dois dias antes do casamento. Depois de pronto, o buquê teve de ficar em um isopor com garrafas de água congeladas”, diz.

Outra encomenda que desembarcou no aeroporto foi uma caixa contendo 30 borboletas, para serem soltas durante a cerimônia, no momento da troca de alianças. Quem atendeu o pedido foi a assessora de eventos Janaina Marttos, de São Paulo (SP), que encomendou os insetos em um borboletário da Bahia. “As borboletas chegam desacordadas e vivem pouco tempo. Como o casamento foi realizado em um local fechado, havia o risco de elas pousarem e serem encontradas mortas em pratos e copos”, lembra.

$!$render-component.split('/')[$math.sub($render-component.split('/').size(), 1)]
Topo