Cerimônia

Conheça a origem e o significado das principais tradições de casamento

Marina Oliveira e Amanda Sandoval

Do UOL, em São Paulo

Muitos dos costumes e superstições relacionados ao matrimônio foram criados há séculos e, apesar de terem sofrido adaptações com o passar dos anos, alguns deles são seguidos até hoje. É o caso do buquê de flores, que antigamente tinha a função de espantar mau-olhado, mas hoje em dia tem como principal finalidade incrementar o visual da noiva. Saiba o que significam outros rituais de casamento seguidos por diferentes nacionalidades.

Principais tradições de casamento e seus significados

  • Getty Images

    Carregar a noiva no colo na noite núpcias

    A tradição surgiu no Oriente, com o objetivo de evitar que a noiva tivesse contato com qualquer tipo de energia negativa ao iniciar a vida de casada. Ao carregar a noiva, o noivo impedia que a esposa fosse atingida por espíritos ruins, que ficavam à espreita na porta do quarto nupcial. Ao ser carregada, a noiva também evitava de entrar com o pé esquerdo no novo lar, o que traria azar.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Buquê de flores

    Na Grécia e Roma antigas, as noivas carregavam buquês que não eram compostos apenas de flores, mas também de ervas e temperos. Alguns tinham até alho! Tudo para espantar a inveja alheia e os maus espíritos. A partir do século 14, na França, as noivas passaram a jogar o buquê para as convidadas solteiras que, antes disso, costumavam pegar um pedaço do vestido da noiva para ter sorte no amor.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Bem-casado

    O doce, feito tradicionalmente com pão de ló e recheado de doce de leite, simboliza a união eterna do casal, além de ser uma maneira de agradecer aos convidados pela presença. Com o passar do tempo, o bem-casado ganhou status e passou a ser oferecido em embalagens que combinam com a decoração da festa e até em diferentes versões, no potinho ou banhado em chocolate, por exemplo.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Chuva de arroz

    Jogar arroz nos recém-casados é uma tradição chinesa, que tem mais de quatro mil anos. No país, o arroz era símbolo da fartura e jogá-lo nos noivos era o mesmo que desejar abundância ao casal. Aqui no Brasil, a tradição às vezes é adaptada, já que muitas igrejas não permitem a chuva de arroz na saída. Ele tem sido substituído por bolhas de sabão e até balões de gás hélio.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Marcha nupcial

    Foi no casamento da filha da rainha Vitória, que popularizou o uso do vestido de noiva branco, que essa canção foi tocada pela primeira vez. A marcha foi composta especialmente para a ocasião, em 1842, pelo músico Felix Mendelssohn. Ainda hoje, a canção é famosa e é a escolha de muitas mulheres para a cerimônia.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Chá de cozinha

    O evento, em que a noiva reúne as amigas para se divertir e angariar itens para a nova casa, nasceu de uma lenda holandesa. A história conta que um moleiro pobre se apaixonou por uma rica donzela. Os amigos, sensibilizados, se reuniram e ofereceram a eles tudo o que precisavam para compor um lar.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Amêndoas confeitadas

    A tradição de oferecer amêndoas aos convidados do casamento surgiu na Itália. No país, é comum entregar cinco unidades para cada pessoa, que significam: felicidade, fertilidade, longevidade, riqueza e saúde. O mais usual é oferecer os confeitos brancos, porém, os coloridos também estão em alta, assim como os prateados e dourados.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Grinalda

    O acessório de cabeça utilizado pelas noivas foi criado para distinguir a mulher das outras convidadas do casamento. Tradicionalmente, a grinalda tem a forma de uma coroa e é símbolo de status e de riqueza. Antigamente, acreditava-se que, quanto mais luxuoso o acessório, mais poderosa era a noiva.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Véu da noiva

    O acessório marca a transição da vida de solteira para a de casada. Seu uso tornou-se hábito por influência da rainha Vitória. No entanto, o livro Gênesis, da Bíblia, já conta que Rebeca se cobriu com um véu quando se aproximou de Isaac, que seria seu futuro marido. Os gregos também acreditavam que, ao cobrir o rosto, a noiva se protegia do mau-olhado das outras mulheres e da cobiça dos homens.

    Imagem: Getty Images

  • Getty Images

    Algo velho, novo, emprestado e azul

    O ditado inglês diz que, para ter sorte no casamento, a noiva deve usar "something old, something new, something borrowed and something blue". O costume ainda não pegou por aqui, mas é cumprido à risca lá fora. Por isso, muitas famosas acabam se casando com detalhes como uma fita azul no vestido, uma joia antiga, um vestido novo e um amuleto emprestado, por exemplo.

    Imagem: Getty Images

Topo