Casamento

Noivas ousam na entrada e até escolhem helicóptero para chegar ao casamento

Amanda Sandoval e Louise Vernier

Do UOL, em São Paulo

O casamento é um momento especial, sem dúvida alguma. Por isso, há sempre um desejo de inovar e surpreender para que o acontecimento fique na memória não só de quem está oficializando a união, mas também dos convidados. Algumas noivas mais ousadas querem impactar logo na entrada e escolhem maneiras inusitadas de chegar à cerimônia.

É o caso da Maria Fernanda Lazareff da Nóbrega Teixeira, 27, de Extrema (MG), que se casou em um sítio localizado em sua cidade natal e optou por chegar "voando". “Em janeiro, quando me casei, morava em São Paulo, onde me arrumei para a cerimônia. Então, aluguei um helicóptero para chegar até Minas”, conta ela que, apaixonada por aviação e em busca de um casamento diferente, não se arrepende. “Foi emocionante. Enquanto a aeronave sobrevoava o sítio, eu via os convidados gritando e acenando para mim lá de baixo. Ainda fico arrepiada, só de lembrar!”, garante.

Já Luciana Gonçalves Saab, 28, de São Paulo, preferiu não ir tão alto, mas nem por isso deixou os pés no chão. “Queria uma entrada ousada mas, ao mesmo tempo, delicada. Como casei na praia, um barquinho de pesca foi a forma mais simples e bonita que encontrei para isso”, afirma. O resultado superou as expectativas. “Os convidados acharam o máximo. Todos esperavam que eu fosse chegar de carro, como meu marido fez. Eles se surpreenderam quando cheguei pelo mar’”, relembra.

Léia Galvão Evaristo, 26, de São Paulo, foi outra noiva que deixou o sonho falar mais alto. “Desde criança, sonhava em casar com um príncipe e chegar de carruagem à cerimônia”, diz. Decidida, ela fez acontecer e convenceu o marido a se casar no Castelo Moniques, localizado no Buffet Marílias, em Embu das Artes (SP). “Foi mais do que eu sonhei, uma experiência única na minha vida. Cheguei de carruagem e, quando apareci no topo do castelo, todos ficaram encantados”, garante.

Drible os imprevistos
Segundo a cerimonialista de casamentos Talita Uoya, de São Paulo, é indispensável tomar alguns cuidados para não transformar a entrada triunfal em um verdadeiro desastre. “Houve um caso em que a noiva escolheu chegar de helicóptero, mas não verificou se o sítio onde iria se casar tinha estrutura para o pouso. Na hora, descobriu que não”, conta Talita. “Fora a história de um noivo que chegou montado em um cavalo a pedido da noiva, mas caiu dele no momento de sua entrada”, lembra a cerimonialista.

Tomar algumas precauções é o suficiente para que o sonho não se transforme em pesadelo. “O ideal é trabalhar com o auxílio de uma assessora matrimonial, especialmente nesses casos. Experiente, ela poderá avaliar se o desejo dos noivos é viável ou não”, afirma Roberta Dornelas, assessora de eventos da RoDornelas Eventos, de São Paulo. A especialista deverá verificar detalhes como as vias de acesso para o local da festa e se o transporte combina com o estilo do casamento.

Tão importante quanto checar esses detalhes é tomar cuidado para que a cerimônia não se torne cafona. “Surpresas são agradáveis, mas certas coisas podem causar má impressão. Lembre-se: nessas horas, geralmente menos é mais”, aconselha Talita. Sem contar que cada rito matrimonial tem tempo determinado e qualquer imprevisto pode atrapalhar todo o andamento do evento. “Se o casamento ocorrer na igreja, os noivos devem respeitar a tradição e cumprir as regras de protocolo e restrições impostas pelo templo”, lembra a cerimonialista.

Portanto, antes de inovar na entrada e até mesmo de contratar o espaço para a realização do evento, cheque a estrutura e as condições do local, para que tudo ocorra sem prejudicar o cronograma da cerimônia. Além disso, vale ter sempre um plano B na manga, caso algo não saia como o esperado. “Se a assessora souber do desejo da noiva com antecedência, terá a oportunidade de indicar a melhor alternativa para que a entrada triunfal no grande dia seja não apenas possível, mas impecável”, conclui Roberta.

Topo