Casamento

Casamento na terceira idade pede looks mais sóbrios; veja algumas sugestões

Amanda Sandoval e Louise Vernier

Do UOL, em São Paulo

Assim como os sonhos não têm prazo de validade, não há idade para decidir juntar as escovas de dente e organizar uma bela cerimônia de casamento. Mais maduras, as noivas da terceira idade talvez não fiquem tão ansiosas para o grande dia, mas a preocupação em acertar na escolha do visual para encher os olhos do parceiro e dos convidados continua existindo.

Na opinião da estilista Flayza Vieira, de São Paulo, esse é um dos detalhes mais fáceis de resolver, se comparado aos tantos outros que fazem parte do planejamento da celebração. Para não errar, noivas maduras podem usar vestidos na altura dos joelhos ou duas peças, como o tailleur. “Se optarem pelo longo, o ideal é investirem em cortes retos e que marquem a cintura”, aconselha. As noivas mais ousadas podem brincar com rendas e estampas delicadas.

Também é possível casar de véu e grinalda sem medo de parecer cafona. “Desde que combinem com o estilo do vestido e da cerimônia, não há problema em usá-los”, garante o cerimonialista Wander Ferreira Junnior, especialista em gestão de eventos e cerimoniais de luxo, de São Paulo. Mas para quem quer mais discrição, véus curtos, mantilhas, coroas, chapéus ou casquetes são boas opções. “Investir nesses adornos é uma maneira de conferir charme e graça à produção”, diz Flayza.

As noivas mais maduras podem ainda apostar em modelos em tons pastel, "off white", pérola e nude. Mas isso não significa que o branco seja menos indicado para quem casa depois dos 60. “A cor branca não representa apenas a pureza e a castidade, mas também o matrimônio. Por isso, fica a critério da noiva usar ou não”, afirma a estilista.

De acordo com Thomn Félix, estilista da Bela Noiva, de São Paulo, a escolha do tecido deverá variar de acordo com o modelo da vestimenta. Mas, de maneira geral, a estilista Flayza Vieira aconselha usar os mais pesados em estações mais frias e deixar os mais leves para os dias quentes.

Regras básicas
Segundo os especialistas, casamento é casamento e as regras da ocasião são as mesmas para as noivas de todas as idades. “Não podemos pensar em rococós, brocados, pedrarias e cristais para casamentos matutinos. Nem em uma modelagem simples para cerimônias noturnas”, explica Flayza.

Trajes noturnos podem ser bordados e com brilho, já casamentos diurnos pedem vestidos mais leves e fluidos. Cerimônias em catedrais permitem modelos mais volumosos e até o uso de adereços, enquanto os eventos na praia ou no campo, por outro lado, exigem vestes mais descontraídas e sem brilho.

Se não quiser ousar, vale evitar vestidos muito rodados, no estilo “bolo de aniversário”, babados e cauda sereia, independentemente do horário da cerimônia. “A máxima ‘menos é mais’ é adequada sempre”, conclui Junnior.

Noiva aos 74 anos
Após mais de 40 anos de união, Elenice de Almeida Cordeiro, de São Paulo, e seu parceiro resolveram oficializar o relacionamento em janeiro. “O pedido de casamento foi inesperado e tive apenas 45 dias para correr atrás do vestido”, conta. Depois de visitar algumas lojas e não se encantar com nenhum modelo, Elenice resolveu procurar uma estilista e mandar fazer seu vestido sob medida, do jeito que sempre sonhou. “Quis um modelo longo na cor 'off white', com a parte superior de renda bordada. Nada muito jovem, nem com muito cara de idosa”, brinca.

Elenice desembolsou quase R$ 3 mil pela peça "chique e discreta" que usou em seu grande dia, mas não se arrepende. “Meu marido ficou deslumbrado assim que entrei no salão em que aconteceu a cerimônia. Sem contar que posso adaptar o vestido e usá-lo em outra ocasião”, conclui a recém-casada. 

Topo