Casamento

Casamento real terá flores colhidas das propriedades da realeza

AFP PHOTO/Paul Rogers
Shane Connoly, o florista oficial do casamento real, caminha com Emma Sampson, florista da família Middleton, no Windsor Great Park. Durante a cerimônia, a Abadia de Westminster será decorada com flores britânicas (26/04/2011) imagem: AFP PHOTO/Paul Rogers

LONDRES (Reuters Life!) - A Abadia de Westminster, de Londres, será enfeitada com flores, arbustos e árvores da estação, retirados na maior parte das propriedades reais para o casamento do príncipe William com Kate Middleton.

Uma avenida de árvores formando um corredor até o altar será o ponto principal do arranjo. Em vez de plantas cortadas, elas serão plantadas, para combinar com o desejo da noiva de que o casamento seja sustentável.

O florista Shane Connolly, de 47 anos, responsável pelos arranjos, disse que tem conversado regularmente com Middleton e que as flores não deverão passar a mensagem de "uau, que extravagância", e sim de "que bonito".

"Sugeri desde o início que usássemos coisas das propriedades reais, porque o princípio dela é de que tudo tinha de ser britânico, tinha de ser da estação e mais orgânico possível com o lugar", afirmou ele.

Entre as plantas, haverá flores de árvores frutíferas, azaléias, rododendros, faias, glicínias e lilases, informaram funcionários da realeza na terça-feira.

Oito árvores com mais de 6 metros de altura serão o destaque mais salientes e estarão em canteiros projetados por Connolly, escolhido pelo casal por sua reputação de produzir arranjos "elegantes e exclusivos".

Pela tradição, o buquê da noite é de flores brancas, mas Connolly não divulgará nenhum detalhe.

No entanto, ele indicou que poderá haver uma mensagem oculta no buquê, já que se diz que algumas flores têm significados, como amor, romance e fidelidade.

"Uma das coisas que têm sido muito importantes para Catherine e para mim são os significados das flores e a linguagem das flores", disse Connolly, que também fez os arranjos de flores para o segundo casamento do pai de William, o príncipe Charles, em 2005.

(Reportagem de Michael Holden)

Topo