Relacionamento

10 crises que todos passam em um relacionamento e como superá-las

Getty Images
Uma boa ideia para superar a monotonia é realizar um projeto de aprendizado comum, como um curso imagem: Getty Images

Andrezza Czech

Colaboração para o UOL

Qualquer relacionamento, por mais saudável que seja, passa por momentos de crise. Seja a monotonia depois de muito tempo de relação ou a descoberta de que os planos para o futuro não batem, há sempre algo a ser resolvido. Veja como superar as principais crises a dois.

 

  • Quando a relação cai na rotina

    Para a psicóloga e terapeuta sexual Ana Canosa, autora de "A Metade da Laranja - Discutindo Amor, Sexo e Relacionamento" (editora Master Books), uma boa ideia para superar a monotonia é realizar um projeto de aprendizado comum, como um curso. "Além de conhecerem outro assunto, treinarem novas habilidades e entrarem em contato com pessoas diferentes, poderá surgir um lado da parceria que você não conhecia", diz.

  • Quando a paixão esfria

    Para a psicóloga Marina Vasconcellos, terapeuta familiar e de casal pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), é importante propor atividades para sair da rotina. "Vá ao motel, veja um filme excitante, viaje. Se tiver filhos, veja se alguém pode cuidar deles e tenha uma noite a dois." Para Ana, essa é uma boa hora para colocar algumas fantasias sexuais em prática.

  • Planos que não batem

    Nesse caso, é preciso muita negociação e conversa. Para Ana, é necessário entender que nem sempre os projetos de ambos irão coincidir e tentar ajustar as expectativas, não deixando de lado as necessidades do casal.

  • Problemas financeiros

    Para resolver o problema, Ana sugere rever o orçamento e estabelecer metas claras e ajustes. Segundo Marina, o ideal é que ambos se conscientizem do que está acontecendo e unam forças para superar a situação. "É preciso abrir o jogo quando começa o problema. É comum que um passe uma dificuldade, não conte e, de repente, apareçam dívidas homéricas", diz.

  • Dificuldade de adaptação ao morar junto

    "É preciso negociar os limites de cada um e estabelecer tarefas para os dois", diz Ana. Marina aconselha não deixar acumular pequenos incômodos e falar com calma, sem acusar o parceiro, mostrando a ele como você se sente quando ele faz (ou deixa de fazer) algo.

  • Crises de ciúme frequentes

    Ana aconselha avaliar se há motivo ou se tudo não passa de uma fase de insegurança ou carência. "Conversem sobre o assunto, na tentativa de identificar as motivações e interromper o comportamento. Fazer coisas juntos, estreitando os laços, também pode ajudar", diz. De acordo com Marina, se o ciúme for excessivo, é preciso contar com a ajuda de um terapeuta para tentar entender o real motivo da insegurança.

  • Mudanças profissionais

    É preciso ter paciência para avaliar as mudanças que um novo trabalho ou cargo provocam na vida a dois. E tudo deve ser deixado às claras. "É muito importante não mentir sobre as reais atividades que se desenvolverá, o tempo que será dedicado ao novo trabalho e o que o parceiro deve desenvolver ou abrir mão para viver esse momento", diz Ana.

  • Traição

    Para a psicóloga e terapeuta sexual Margareth dos Reis, doutora em ciências pela FMUSP (Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo), a traição não decreta necessariamente o fim de um relacionamento. Ela é uma crise (intensa) que pode ser superada, caso ambos tenham paciência e vontade. "Pode ser um momento para rever a relação como um todo e descobrir o que aconteceu para chegar a esse ponto", diz.

  • Chegada de um filho

    A chegada de um filho provoca grandes mudanças na dinâmica do casal. E é comum que muitos deixem a relação de lado. "O casal precisa sentir que forma um bom time no que diz respeito aos cuidados com o filho, mas, aos poucos, precisa voltar para os programas a dois, como jantares, atividades culturais, envolvimento com amigos e intimidade sexual", diz Ana.

  • Síndrome do ninho vazio

    A saída do filho de casa também pode ser traumática para alguns. Segundo Margareth, isso acontece quando a relação foi deixada de lado e o casal já não encontra mais outros interesses em comum além da vida dos filhos. Para Ana, esse é o momento de retomar desejos que ainda não puderam serem realizados. "Cursos, faculdade, viagens, esportes, atividades voluntárias ... Tudo isso trará alegria e novidade", diz ela. Para Marina, fazer terapia de casal pode ajudar muito nessa reaproximação.

Topo