Comportamento

Campanha leva mulheres a 'gritar' seus abortos contra proposta do Senado dos EUA

BBC
Hashtag foi criada após Senado propor corte em financiamento a grupo que faz aborto imagem: BBC

Anne-Marie Tomchak e Henry Wilmer BBC Trending

"Há um ano, fiz um aborto na Planned Parenthood. Tenho um coração bom e fazer um aborto me deixou feliz de uma forma inexplicável. Por que eu não ficaria feliz por não ter sido forçada a virar mãe?"

A história, contada no Facebook pela americana Amelia Bonow, deu origem a uma onda de polêmica nas redes sociais e levou milhares de mulheres ao redor do mundo a compartilhar relatos semelhantes on-line.

BBC
Amelia Bonow, uma das criadoras da campanha, disse que se sente feliz por não ter sido forçada a ser mãe imagem: BBC
A hashtag #ShoutYourAbortion, algo como "grite o seu aborto", foi utilizada 100 mil vezes em 24 horas.

A iniciativa partiu de Amelia Bonow e Lindy West, duas feministas de Seattle, em reação a uma proposta do Senado americano para retirar financiamento do grupo de saúde feminina Planned Parenthood, que realiza abortos legalmente.

A proposta, por sua vez, ocorre após um grupo antiaborto publicar vídeos em que acusa o Planned Parenthood de vender tecidos de fetos abortados. O grupo alega que seus empregados estavam discutindo a doação dos tecidos para pesquisa, e não para obter lucro.

Quanto à campanha on-line, "são mulheres falando sobre aborto de sua forma. Ao fazer isso, reduzem o estigma que talvez tenha sido o responsável por esse silêncio (a respeito do tema) desde o início", diz Bonow.
BBC
Lindy West diz que a carreira melhorou desde aborto e hoje é mais apta a cuidar de seus filhos imagem: BBC

A outra responsável pela hashtag diz que fez um aborto em 2010.

"A carreira que eu construí desde então me satisfaz e me tornou mais capaz de cuidar dos filhos que tenho hoje", afirma Lindy West.

Mas a iniciativa também provocou uma reação de críticas.

"Sou a favor da escolha, mas acho que #ShoutYourAbortion é estúpido. É uma coisa profundamente emotiva e pessoal para a maioria das pessoas. Por que gritar isso?", disse um usuário no Twitter.

"Por favor, não #ShoutYourAbortion (gritem seu aborto). Há milhares de casais esperando pela chance de adotar seu bebê. @ChooseLife (escolha a vida), você não vai se arrepender", tuitou outro.

Um terceiro chamou a campanha de "celebração do mal".

Topo