Comportamento

Justiça alemã obriga homem a deletar imagens íntimas de ex-namorada

PA
Alemanha tem legislação rígida para proteger privacidade de cidadãos imagem: PA

Uma briga entre ex-namorados acabou na Justiça alemã por causa de fotos íntimas que o homem tinha guardado da mulher durante o relacionamento.

As fotos haviam sido tiradas com o consentimento dela –mas após o término do namoro, a jovem queria que ele apagasse todos os registros.

A decisão da alta Corte alemã foi favorável à mulher, obrigando o ex-namorado a deletar todas as fotos íntimas que ele tinha dela. Segundo a Justiça do país, permitir que ele permanecesse com as imagens era uma "violação aos direitos dela de privacidade".

Ainda de acordo com a Justiça da Alemanha, o "consentimento da mulher para tirar as fotos acabou quando o relacionamento entre os dois terminou". O país é um dos mais rígidos quando o assunto é lei de privacidade.

A Corte alemã afirmou que todos têm o direito de decidir se querem ou não conceder imagens íntimas, para quem e de que forma essas imagens poderiam ou não ser usadas.

Segundo a Justiça, caso permanecesse com a posse dessas fotos, o ex-namorado teria uma espécie de "poder manipulador" sobre a então namorada.

No entanto, ainda não está claro como as autoridades irão garantir que a decisão seja cumprida.

Casos recentes de fotos íntimas que foram divulgadas online fortaleceram o debate sobre os direitos das vítimas em situações do tipo. Alguns países tratam a chamada "vingança pornográfica" como crime.

No Brasil, ainda não existe uma lei específica para punir casos de divulgação de imagens íntimas – eles são classificados em crimes de punição considerada branda, como difamação ou crime contra honra.

Topo