Comportamento

Professor de Princeton faz sucesso com publicação de 'currículo de fracassos'

Universidade de Princeton
O professor Haushofer disse que seu currículo de fracassos conseguiu mais sucesso que seus trabalhos acadêmicos imagem: Universidade de Princeton

Um professor de uma das universidades mais famosas do mundo, a Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, está fazendo sucesso com um currículo em que faz o oposto do que normalmente se costuma fazer --relata apenas os fracassos de sua carreira.

Em geral, currículos --em especial de acadêmicos-- relatam uma vasta trajetória de cursos concluídos, diplomas, doutorados, pesquisas, publicações e reconhecimentos.

Mas Johannes Haushofer, professor associado de psicologia em Princeton, divulgou em sua conta no Twitter um currículo em que relata apenas as ocasiões dos cargos que disputou e não levou, dos prêmios que não ganhou, ensaios que foram rejeitados por publicações acadêmicas e pedidos de financiamento de pesquisas que não foram aprovados.

Com a iniciativa, Haushofer recebeu apoio de colegas, estudantes e centenas de usuários de redes sociais.

"Fracasso em muitas coisas que tento fazer. Mas frequentemente essas decepções são invisíveis enquanto os sucessos sempre são notados", diz o professor na introdução de seu "currículo de fracassos".

Formato e categorias

Haushofer elaborou o documento utilizando o formato conhecido dos currículos e dividindo-o em categorias, como "programas de estudo para os quais não me qualifiquei", "cargos acadêmicos e bolsas que não consegui" e assim por diante.

Em uma última categoria, que chamou de "metafracasso", Haushofer incluiu um pouco de humor.

"Esse maldito CV de fracassos recebeu muito mais atenção do que todo o meu trabalho acadêmico."

Desde que publicou a lista, na semana passada, o psicólogo --que também tem doutorado em economia-- já recebeu centenas de cumprimentos por ter dado a todos "uma grande lição".

Muitos afirmaram que Haushofer é um "otimista", "inspirador" e "inovador".

Convite

O "currículo de fracassos" de Haushofer foi inspirado em um artigo da neurobióloga Melanie Stefan, da Universidade de Edimburgo, na Escócia, publicado na revista "Nature", em 2010.

"Faça seu próprio currículo de fracassos. Você verá que ele será seis vezes maior do que um currículo normal. Mas você vai se lembrar de verdades perdidas, a essência do que significa ser um cientista e pode ser que você inspire um colega para que ele esqueça a rejeição e comece de novo", escreve ela no texto, pensando em uma forma de lidar com experiências de rejeição na vida acadêmica ou profissional.

Haushofer contou em entrevista ao jornal americano "The Washington Post" que seguiu o conselho de Stefan e registrou por escrito, em 2011, todas as vezes em que fracassou em sua carreira.

O objetivo era enviar o documento para um colega que estava passando por um momento ruim.

Mas, na semana passada, Haushofer decidiu tornar o documento público em sua conta no Twitter.

"Só espero que isso seja uma fonte de perspectiva (para outras pessoas) quando as coisas não estejam caminhando tão bem, especialmente para os estudantes e jovens pesquisadores", afirmou o professor ao "The Washington Post".

Topo