Vida no trabalho

Estarmos sempre conectados nos deixa mais estressados no trabalho?

Thinkstock
Pesquisas indicam que checar e-mails e redes sociais constantemente é fator de estresse imagem: Thinkstock

Padraig Belton BBC

Somos a geração dos distraídos, o dia todo checando mensagens irrelevantes na caixa de entrada de e-mails e nas nossas páginas na mídia social. Essa cultura do "conectado 24 horas" --exacerbada pelo smartphone-- está nos deixando mais estressados e menos produtivos, indicam estudos.

 "Cerca de 40% das pessoas acordam e a primeira coisa que fazem é checar e-mails", disse à BBC o pesquisador Cary Cooper, da Manchester Business School. Cooper é autor de estudos sobre a relação entre e-mail e estresse no trabalho. "Para outros 40%, (checar e-mails) é a última coisa que fazem à noite."

Um relatório que investiga a qualidade de vida no ambiente de trabalho, publicado no início do ano pelo Chartered Management Institute --entidade britânica que oferece treinamento e suporte para administradores de empresas-- revelou que a obsessão em checar e-mails fora do horário de trabalho está tornando mais difícil que nos desliguemos nas horas de folga. O resultado é nossos níveis de estresse estão aumentando. Mas o que podemos fazer a respeito?

Enxurrada de e-mails

Algumas empresas vêm intervindo para tentar amenizar o problema. Em 2012, o fabricante de automóveis Volkswagen começou a bloquear contas de e-mails de funcionários quando estavam de folga.

Já outra montadora, a Daimler, foi além e permitiu a seus empregados ativar uma funcionalidade pela qual todos os e-mails de trabalho recebidos durante as férias são automaticamente apagados. E na França, uma nova lei trabalhista que entrou em vigor há algumas semanas incentiva todas as empresas a adotar medidas similares.

O executivo da Microsoft Dave Coplin disse acreditar que ferramentas inteligentes vão aprender quando estamos ocupados e bloquear alertas, esperando até que estejamos menos ocupados para então liberar as mensagens mais relevantes e interessantes.

"A ideia é desenvolver ferramentas que nos ajudem a lidar com a enxurrada de informação", ele disse. Grande parte do trabalho da Microsoft nesse campo está focado no seu assistente pessoal, Cortana.

Para tentar escapar da tirania do e-mail, outras empresas estão fazendo experimentos com mensagens no estilo das redes sociais.

Autoajuda

Algumas empresas de tecnologia acreditam que monitorar o comportamento do nosso computador é o primeiro passo na busca de um melhor equilíbrio entre nossa vida profissional e pessoal. O "milagre" que transformou a Califórnia na sexta maior economia do mundo. 

O pequeno empresário Robby Macdonell, de Nashville, Tennessee, Estados Unidos, disse ter fundado a start-up RescueTime porque ficava frustrado ao ver seus dias desaparecerem sem que ele entendesse o porquê. Ele se distraía com muita facilidade.

 "Esses alertas são muito bem projetados para capturar sua atenção e estimular as partes do seu cérebro que dizem: 'Tenho de reagir a isso imediatamente'", disse Macdonell.

Topo