Equilíbrio

Pedido de casamento de atleta chinesa: romantismo ou pressão masculina?

AFP/Getty/Reprodução
Saltadora chinesa chorou e demorou a sorrir quando o namorado a pediu em casamento imagem: AFP/Getty/Reprodução

Tom Spender BBC News

A torcida adorou, mas e He Zi?

A saltadora chinesa tinha lágrimas nos olhos quando o também atleta Qin Kai a pediu em casamento durante a cerimônia em que ela recebeu a medalha de prata pela disputa no trampolim de três metros.

Um sorriso, porém, levou mais tempo para aparecer.

Ela, então finalmente disse sim para o namorado de seis anos, mas desde então o pedido público divide opiniões no mundo todo.

Na China, onde propostas de casamento incomuns são muito compartilhadas e comentadas, alguns elogiaram o "gesto romântico de uma vida", mas outros se mantiveram céticos.

"Que maneira de colocar pressão sobre ela: ter o mundo inteiro vendo enquanto ela toma uma decisão tão íntima e importante", escreveu a usuária Gu Jueyang no Weibo, o equivalente ao Twitter no país asiático.

"Se ela rejeita a oferta de casamento, vai ser rotulada como uma pessoa cruel por bilhões ao redor do mundo, que estão observando. Isso pode ser mascarado como romântico, mas eu vejo o contrário."

AFP/GETTY/Reprodução
Qin Kai (esq.) fez o pedido durante a cerimônia de entrega das medalhas imagem: AFP/GETTY/Reprodução

Outro usuário do Weibo até acusou o casal de querer o status de celebridade. "Publicidade e timing --o essencial para se tornar o novo casal de ouro da China", escreveu ele.

Enquanto isso, na página da BBC no Facebook, alguns usuários criticaram uma cobertura "sexista" da mídia, que estaria mais centrada no pedido do que na conquista desportiva da nadadora.

"As pessoas se casam o tempo todo, mas apenas alguns têm a oportunidade de alcançar a glória olímpica. Ou a mocinha deve ficar aliviada porque um homem a terá?" perguntou Zoe MacGechan.

"Mecanismo de controle"

Escritora indiana baseada em Londres, Sunny Singh tuítou que a proposta revela um senso de direito masculino.

Ela descreveu o caso à BBC como "um movimento peniano, que definitivamente não é romântico".

"É um mecanismo de controle, uma maneira de dizer 'você pode ter acabado de ganhar uma medalha olímpica ou ser uma CEO ou ter projetado uma nave espacial, mas realmente a coisa mais importante é que você é minha mulher'", disse.

"Imagine se fosse alguém como Michael Phelps recebendo uma medalha e uma mulher se aproximasse e fizesse o pedido --as pessoas iriam rir dela. Quando os homens experimentam o sucesso, espera-se que as mulheres fiquem ao lado e torçam do fundo."

AP/Reprodução
Qin vibrou com o "sim" da namorada imagem: AP/Reprodução

Qin, o namorado, também se aproveitou do que já era um momento de emoção, disse Singh.

"Você teria de ser extremamente corajoso para dizer 'não' nesse ponto. Você ganhou uma medalha, está em frente ao público, trabalhou a vida inteira para isso. Mesmo o melhor ser humano provavelmente estaria emocionalmente instável e vulnerável nesse momento. E as mulheres são ensinadas desde a mais tenra idade a serem agradáveis e não dizerem 'não'", acrescentou.

O pedido de Qin não foi o primeiro a acontecer nos Jogos Rio --antes, Marjorie Enya entrou em campo após o jogo de rúgbi entre os times femininos da Austrália e Nova Zelândia e pediu a jogadora brasileira Isadora Cerullo em casamento.

Mas isso foi diferente, disse Singh, porque não envolveu o "sequestro" de uma cerimônia de medalhas.

Casal olímpico

No entanto, outros dizem que Qin simplesmente "gritou seu amor aos quatro ventos" e não havia nada de errado com isso.

Daisy Amodio, fundadora da consultoria especializada em pedidos de casamento The Proposers, afirmou que o momento fazia sentido porque ambos eram atletas.

"Para esse casal tudo girava em torno dos Jogos Olímpicos. Eles passaram por quatro anos de treinamento, dedicação e trabalho duro, então, porque não fazê-lo lá? A recompensa para eles depois é 'fizemos essa coisa realmente surpreendente e vamos nos casar'. É muito especial ", opinou.

AFP/Getty/Reprodução
Shi Tingmao (dir.), que ficou com o ouro, e Tania Cagnotto, que ganhou o bronze, comemoraram o pedido imagem: AFP/Getty/Reprodução

Segundo Amodio, propor em público pode ser arriscado --e alguns casos dão muito errado--, mas não é tão perigoso como muitos imaginam.

"Você precisa ter 100% de certeza de que a pessoa vai aceitar. No entanto, algumas meninas estão literalmente implorando a seus namorados pelo pedido. Eu implorei para o meu namorado me pedir em casamento durante cinco anos."

Cerca de metade dos pedidos organizados pela empresa de Amodio acontecem em público, mas a demanda tem diminuído, após crescer por vários anos. Ela contou que muitos clientes agora preferem optar por um lugar com uma vista incrível, em vez de ter um grande público.

Mas Amodio não se surpreendeu pela animação da plateia olímpica quando Qin se ajoelhou.

"As pessoas gostam de ver uma história feliz, especialmente quando há tanta desgraça e tristeza no noticiário."

Topo