Equilíbrio

O curioso caso do milionário russo do Instagram que nunca existiu

Reprodução/Instagram
Boris Bork foi criado por dois amigos para mostrar que não é preciso ser rico para fazer fama nas redes sociais imagem: Reprodução/Instagram

Boris Bork tinha tudo, ao menos quando o assunto são bens materiais: andava de carros de luxo, comia em restaurantes premiados, tinha seu próprio helicóptero e, pelo jeito, vários dígitos em sua conta corrente.

Ele gostava de mostrar tudo isso no Instagram, compartilhando sua vida de moscovita milionário com seus mais de 18 mil seguidores. Chegou até a aparecer em um clipe de uma conhecida banda russa.

Parecia ter a vida que sonhava, mas nem tudo que reluz é ouro --especialmente nas redes sociais.

A verdade é que Boris não era real e, sim, um experimento de dois amigos que queriam provar que não é preciso ter muito dinheiro para criar um personagem que viralize na internet.

O consultor de marketing Roman Zaripov, 23, disse que a ideia surgiu depois de ler um artigo sobre o preço para criar uma estrela das redes sociais - segundo ele, o texto dizia que o valor poderia chegar a até oito dígitos.

Convencido de que poderia fazer isso por muito menos, procurou na rede social russa VKontakte alguém de meia idade --e que tivesse uma aparência "fresca" -- para encarnar o papel de um milionário fictício.

Foi assim que encontrou Boris Kudryashov, um aposentado disposto a participar do experimento.

Eles passaram vários finais de semana tirando fotos e publicando no Instagam até transformar Kudryashov --que recebe apenas uma modesta pensão de US$ 195 mensais (R$ 616)-- no milionário Boris Bork.

O plano incluiu até o envio, por Zaripov de uma notícia falsa aos gestores da VKontakte.

As fotos refletem um estilo de vida cheio de luxos e prazeres que corresponderia ao de uma pessoa com uma abastada conta corrente e de personalidade pretensiosa, mas tudo não passava de um experimento social.

Zaripov disse que a conta recebia 30 mensagens diárias, algumas delas com sondagens para anunciar produtos e marcas de roupas em seu Instagram ou para o envio de presentes em troca de publicidade.

A revelação

Depois de seis meses, o jovem revelou em um post no Facebook a verdadeira história do famoso milionário.

"Eu me surpreendi como gastando apenas US$ 800 (R$ 2.500) em dois meses, pude fazer com que dezenas de milhares de adultos acreditassem em uma pessoa que não existe", disse Zaripov.

O que mais o surpreendeu, segundo ele, foi a facilidade de enganar as pessoas, que "deveriam comprovar a veracidade da informação (que se publica nas redes sociais), e não parecem fazê-lo".

Nos últimos meses, algumas celebridades têm externado reticência quanto ao uso excessivo das redes sociais.

"Isso tem um grande impacto na autoestima das mulheres jovens, porque tudo o que fazem é criar uma imagem de si mesmas para agradar as pessoas. E isso vem acompanhado de quê? Transtornos alimentares", disse a atriz Kate Winslet.

A roteirista, diretora e atriz Lena Dunham decidiu deixar as redes sociais depois de receber uma série de comentários ofensivos que, segundo ela, "criam uma espécie de câncer dentro de você".

Inspiração italiana

A inspiração de Zaripov para criar Boris Bork foi o milionário italiano Gianluca Vacchi --este real.

As publicações de Vacchi, 49, viraram um fenômeno do Instagram.

Em um de seus vídeos, que acumula mais de três milhões de visualizações, ele aparece dançando a música "La Mordidita", de Ricky Martin, em um enorme iate --ao lado da noiva de vinte e poucos anos, Giorgia Gabriele.

Vacchi é um empresário com investimentos em vários ramos e dono de um estilo de vida extravagante. Assim como o fictício Boris Bork, que dizia querer "propagar a boa vida e sua forma de ver o mundo", mas, ao menos neste caso, a fortuna é de verdade.

Topo