Comportamento

Tratamento para depressão combina psicoterapia e remédios

Colaboração para o UOL

Além do componente emocional, a depressão também tem causa orgânica, por isso a maioria dos casos é tratada com antidepressivo aliado à terapia. É importante, portanto, saber que a depressão é uma doença e que, como qualquer doença é mais facilmente tratada se diagnosticada ainda no início.

A ajuda geralmente precisa partir das pessoas próximas, pois o deprimido muitas vezes não consegue nem mesmo expressar o seu sofrimento. Preso à sensação de estar num buraco profundo e sem forças para sair dele, não consegue reagir. Procurar um médico ou um terapeuta é necessário em todos os casos, pois é muito difícil conseguir superar sem ajuda profissional.

O tratamento pode ser somente por meio de psicoterapia ou em conjunto com a prescrição de remédios feita por um psiquiatra. Existem ainda alternativas que podem auxiliar o paciente, como a atividade física. “Os exercícios físicos e respiratórios ajudam a oxigenar o cérebro, colaborando para a mudança do estado de ânimo”, diz a psicoterapeuta Amelia Nascimento .

Dependendo do grau e do histórico da pessoa afetada, o tratamento pode ser unicamente psicoterapêutico. “A depressão comum é uma patologia que responde bem ao tratamento, diferentemente da depressão grave ou melancólica, que é mais persistente. Os antidepressivos são uma ótima opção, agindo em aproximadamente 15 dias após o início do tratamento. Mas, em caso de episódio depressivo desencadeado por fatores emocionais, é importante não ministrar remédio sem auxílio da psicoterapia, pois o paciente pode sentir um levantamento de ânimo que não corresponde ao seu estado, o que gera severo mal-estar”, afirma a a psicanalista e terapeuta de casais e família Daniela da Rocha Paes Peres. (Angela Senra)
 

Topo