Comportamento

Dia do Amigo homenageia quem faz bem e lembra outros tipos de amizade

Arte/UOL

ROSANA FERREIRA
Editora-assistente do UOL Estilo Comportamento

Para quem tem amigos, todo dia é dia deles. Mas o Dia Internacional da Amizade e do Amigo, comemorado em 20 de julho, é uma boa data para se lembrar daqueles que fazem parte da nossa vida, mas, muitas vezes, não damos importância. 

Para o consultor e palestrante Anderson Cavalcante, autor dos livros “O Que Realmente Importa?” e “As Coisas Boas da Vida”, ambos da Editora Gente, na correria diária, deixamos de notar o que realmente significa contar com alguém que nos escute, aconselhe, levante a autoestima, nos force a repensar opiniões, exponha outros valores ou simplesmente esteja ao nosso lado para bater papo. “Ter essa pessoa para confessar medos, anseios e sonhos é uma fuga do estresse ligado às preocupações financeiras, amorosas e profissionais”, afirma ele.

E para quem duvida que uma amizade sincera vale a pena, uma pesquisa realizada por dois autores, o médico e sociólogo Nicholas Christakis, professor da Universidade Harvard, e o cientista político James Fowler, da Universidade da Califórnia em San Diego, mostra que a chance de ser feliz aumenta 15% quando uma pessoa ligada diretamente a você (amigo, parente, vizinho) também for feliz. “Isso significa que antes de ser amigo de outra pessoa é preciso estar bem consigo para que esse sentimento contagie o próximo“, diz o consultor.

Você, portanto, é o único responsável por cultivar esse tipo de relação. “Não deixe que os desafios da vida distanciem você dos seus amigos. Assuma o compromisso de curti-los, coloque na sua agenda encontros e ligações para que possa estar ao lado dessas amizades”, aconselha Cavalcante.

Tipos de amigos

A palavra amigo geralmente remete à ideia de companheirismo, sinceridade e solidariedade. Mas há vários tipos de amigos que nem sempre seguem essas qualidades - de trabalho, passando por simples companhias para baladas ou caminhadas, a amigos da onça. Com a consultoria do psicólogo Alexandre Bez, de São Paulo, com especialização em ansiedade e síndrome do pânico na Universidade da Califórnia (UCLA) e em relacionamentos na Universidade de Miami, identificamos e definimos dez perfis de amigos. Clique aqui e acerte o amigo no jogo de cartas. Ou confira as definições abaixo:

1 Amigo virtual
Aquele amigo que você encontra nos sites de relacionamentos ou que só “conversa” pela internet. Mas os jovens precisam ficar atentos. Isso porque o Brasil se destaca entre os países com maior índice de usuários dos sites de relacionamentos, fato que expõe mais jovens ao risco. Segundo o levantamento anual Norton Online Living Report feito pela Harris Interactive a pedido da Symantec, dos 12 países pesquisados, as pessoas entre 8 e 17 anos no Brasil são os que mais passam tempo conectados – 70 horas por mês. Porém, os pais acham que os filhos gastam somente 56 horas mensais na web. E boa parte desse tempo – 13 horas por semana - é gasto pelos jovens em sociabilização na internet. E sabendo da preferência dos brasileiros pelos ambientes sociais, os criminosos se aproveitam – os crimes vão desde uma invasão, passando por roubo na conta bancária, até pedofilia.

2 Amigo de infância
Ele (a) foi o seu (ua) melhor amigo (a) na infância, mas vocês cresceram e cada um tomou seu rumo. De vez em quando se encontram e relembram os bons momentos. A infância é a melhor fase para se fazer amigos. Nela existem as brincadeiras de criança, as identificações, e a ausência de responsabilidades do mundo real. O que vale nesse período da vida é a fantasia e a imaginação reforçadas pela presença dos pais, que não só dão proteção, mas também essa sensação. O futuro dessa amizade será conduzido pelo tipo de identificação que a criança estabeleceu com os amigos - podendo ser forte e duradoura ou apenas relativa àquela época.

3 Amigo da onça
Esse é o pior tipo de “amizade”. Trata-se de um “amigo” que só age pela calúnia, falsidade e inveja. A aproximação é motivada por algum tipo de interesse e ele sempre está por perto para conquistar seus objetivos de acordo com seus interesses. Ele nunca muda, pois esse comportamento faz parte de sua constituição de personalidade, assim como a mentira e as fofocas inventadas e/ou aumentadas fazem parte de seu cardápio de atuação. Sempre que tiver oportunidade, vai tirar proveito da situação.

4 Amigo da balada
Pode ser aquele amigo com quem você sai ou que encontra na própria balada. De qualquer modo, é uma relação limitada, que não passa para um nível superior em que existe troca de confissões, experiências, conselhos ou mesmo conversas do dia a dia. Normalmente, é uma relação frágil e fútil e de duração limitada, que vai de acordo com os lugares frequentados: muda a balada, mudam os amigos. Para esse caso é melhor usar o termo colega, que é mais leve e descompromissado. Os gays são grandes amigos de balada, especialmente para as mulheres, pois agem como verdadeiros amigos, abertos a conversas, até porque não existe o interesse sexual ou segundas intenções.

5 Amigo conselheiro
Esse é o verdadeiro amigo - o oposto do amigo da onça. É aquela pessoa em que se pode confiar e contar para todos os momentos, que vibra com seu sucesso, apoia e faz críticas construtivas sempre visando seu bem-estar. Esses laços podem ser estabelecidos em qualquer fase da vida e um fator relevante é o bom caráter dos envolvidos.

6 Amigo do trabalho
A amizade de trabalho pode ser apenas localizada ou estendida. A localizada é quando a amizade fica restrita ao ambiente de trabalho, no horário comercial, começa e termina junto com o expediente. A estendida sai do escritório, chega ao happy hour e pode ir mais além. Ambas começam numa situação profissional, mas têm desfechos diferentes. Gostos e preferências pessoais ajudam na evolução da relação profissional. Mas é muito importante fazer a distinção entre amigo e colega de trabalho.

7 Amigo colorido
Esse tipo de relação não é novo e teve seu auge nos anos 80. A amizade colorida é desprovida de sentimento, carinho, confiança e confidências pessoais. As carências e eventuais decepções amorosas são resolvidas por meio - e unicamente - do sexo. A fantasia de ser um relacionamento também pode ajudar esse comportamento, mas o principal compromisso dessa relação é a prática sexual visando principalmente o prazer.

8 Amigo esportista
Amigo que adora esportes e o chama para acompanhá-lo a fim de tirá-lo do sedentarismo. As atividades esportivas são o único elo sustentável dessa relação e pode estar presente em qualquer modalidade, do futebol do fim de semana à academia. A partir do momento que um dos lados para com a prática, a amizade pode deixar de existir, pois não tem substância suficiente para continuar fora do ambiente esportivo. Em alguns casos, o abandono do esporte pode gerar certa raiva ou reprovação daquele que foi “abandonado”.

9 Amigo imaginário
Muitas crianças têm amigos imaginários, que, segundo muitos estudiosos, fazem parte do desenvolvimento natural. Desde que, claro, não substituam os amigos reais. Mas essa é uma situação delicada, que precisa ser bem avaliada, pois pode ter referência ao aprendizado mental da criança e até representar indício de alguma síndrome ou de autismo.

10 Amigo de estimação
Dizem que o cão é o melhor amigo do homem. Mas tem gente que prefere os animais a pessoas, o que faz com que se isole e faça tudo para o pet: permite que o animal durma na sua cama e coma à mesa, compra roupinhas, perfumes e itens de grife etc. Pessoas voltadas com sua energia mental mais para o interior, com tendências ao isolamento, depressivas e, em casos mais sérios, sociopatas podem ter esse tipo de atitude. O cão pode ser o melhor amigo do homem, porém é possível tê-lo como tal e conviver com outras pessoas. O ser humano não nasceu para o isolamento.
 

Topo