Comportamento

Como superar um fora e dar a volta por cima

Getty Images
Chorar alivia a alma, mas, depois derramar todas as lágrimas, evite passar muito tempo sozinha; nesse momento os amigos são essenciais imagem: Getty Images

RENATA RODE
Colaboração para o UOL

Você já teve vontade de dizer não, mas disse sim? Eu, você e milhares de mulheres fazem isso o tempo todo. E o que relacionamento tem a ver com isso? Tudo! Quando levamos adiante um caso amoroso que por alguma razão está fadado ao fracasso, estamos nos enganando e camuflando o que realmente somos ou queremos. Sabe aquela expressão: “Não era para ser”? É o que a maioria das mulheres usa depois do rompimento: levantam do chão tendo em mente que aquele homem que deu o fora realmente o fez porque não a merecia. É até uma boa filosofia a ser adotada, já que empurra a vida para frente: um dia, ela acorda querendo virar mudar a cor do cabelo, correndo para fazer matrícula na academia e sair com as amigas.

Para a jornalista Roberta de Castro Silva, 29 anos, a volta por cima demorou a acontecer, mas vingou. Ela era noiva havia três anos e meio do seu primeiro namorado e ficou sabendo que estava sendo traída por acaso. “Eu soube por um torpedo que meu ex mandou para mim por engano, dizendo que iria terminar comigo. Foi um golpe muito forte, eu lembro que fiquei sem sentir as pernas com o baque. Depois daquele dia eu nunca mais fui a mesma pessoa”, confessa.

Saí pela porta da frente íntegra e muito mais forte. Agora penso um ‘zilhão’ de vezes em mim antes de me apaixonar. Só me entregarei para alguém quando tiver certeza. Dúvidas, não mais

Roberta de Castro Silva

Quando se lembra da dor, ela diz que fica passada. Sofreu por 30 dias consecutivos, com diarreia e muita lágrimas. Perdeu 5 kg nos primeiros 15 dias e retomou a força e a vida por meio do trabalho. “Acho que foi o meu trabalho que levantou a minha autoestima. Cada dia eu me dedicava mais e isso fez me sentir importante para mim mesma. Renasci. Decidi parar quando percebi que a vida continuava na mesma velocidade do meu desânimo; nessa hora, virei a mesa”, conta.

No livro “Seja a Dona da Sua Vida – Deixe de dizer sim quando quer dizer não” (Academia), a editora Beth Wareham expõe a vantagem de ter o controle sobre suas decisões. “Ao conseguir mudar seu comportamento, você vai viver a vida que escolheu e não a que escolheram para você viver”, afirma. A autora ainda questiona: como a sua felicidade pode depender de uma segunda pessoa e não exclusivamente de você? Nunca! A frase que vale para ela é: “Seu parceiro deve ser um planeta em seu universo e não o universo inteiro”.

Depois de dois anos de namoro, a assessora Ana Beatriz Chacur, 25 anos, percebeu alterações no comportamento do seu parceiro. “Ele ficou estranho, distante, mal humorado, bem diferente do habitual. Até com a mãe começou a brigar constantemente, além de beber muito e ao mesmo tempo ficar vaidoso”, detalha. É claro que ela não queria acreditar que havia algo de errado, sempre com a ilusão de que tudo iria ficar bem e voltar como era antes. Quem dedurou? O celular. A mensagem recebida a uma da manhã era clara: “Quero que o mundo se exploda, eu amo você!”. Aproveitando que o namorado estava dormindo quando veio a primeira mensagem, Ana ficou a noite em claro respondendo às investidas da amante de seu namorado como se fosse ele. “Eu estava em estado de choque e mandava respostas a ela do tipo: foi só uma aventura, eu sou comprometido e não amo você. Sei que foi uma infantilidade, mas não consegui me segurar”, diz. Ao revelar ao namorado tudo o que tinha acontecido, ele resolveu pedir um tempo, mesmo alegando que a outra estava dando em cima dele, sem que tivesse correspondido.

Sempre digo: goste primeiro de você, cuide-se e se coloque sempre em primeiro lugar, porque se você não se amar, não espere que outra pessoa o faça

Ana Beatriz Chacur

“Depois de terminarmos, descobri que a outra era a secretária dele”, lembra Ana, que perdeu 9 kg em um mês. Ela conta que pulou manequins da noite para o dia, pois não tinha vontade de comer, mas malhava muito. “Virei rata de academia porque precisava descontar minha raiva em alguma coisa ou atividade. O tempo foi passando e a dor também. Depois que a ‘fossa’ passa, você começa a avaliar se realmente a pessoa que estava do seu lado valia a pena e dá até um alívio saber que antes tarde do que nunca”, diz.

Rennata Alarcon, consultora de relacionamentos e escritora do blog "DeuErrado", diz que é muito natural que uma mulher busque mudanças após o término de uma relação. “Elas pensam, mesmo de maneira inconsciente, que precisam renovar para encarar a ‘nova fase’ de uma maneira melhor. Quando um relacionamento acaba, normalmente a autoestima fica abalada mesmo. Se a mulher se cuida, dá atenção a si mesma, tende a melhorar. Com isso, ela se sente mais feliz e pronta para um recomeço”, afirma a especialista.

Porém, Rennata lembra outros tipos de reações após rompimentos. “O tempo e a intensidade do período de ‘luto’ que a mulher vive após uma separação varia de acordo com cada pessoa. Conheço algumas que terminaram relacionamentos de poucos meses e ficaram extremamente abaladas. Outras rompem namoros de anos e saem dessa apenas com alguns arranhões e mais força ainda. Não dá para prever como vamos ficar ou quanto tempo levaremos para ‘sacudir a poeira’”.

Ela dá cinco dicas exclusivas para superar o fim de um relacionamento:

1. Permita-se chorar e ficar triste por um tempo, é muito importante não bloquear os sentimentos ou fingir que nada aconteceu. Chorar alivia a alma. Logo você se recupera e se sente pronta para outra.

2. Depois que derramou todas as lágrimas, evite passar muito tempo sozinha, nesse momento seus amigos são essenciais. É muito importante ficar ao lado de pessoas queridas, que te amam e querem seu bem.

3. Divirta-se! Faça coisas que você adora e que deixou um pouco de lado por conta do relacionamento.

4. Procure não ficar falando do seu ex o tempo todo. Seus amigos sabem que você está triste e vão procurar te ajudar de todas as maneiras, mas ficar chorando para eles definitivamente não vai ajudar.

5. Permita-se conhecer novas pessoas, fazer novas amizades. Por mais que você ache que não, essa fase é um recomeço, e novos amigos na sua vida podem fazer muito bem.

Topo