Comportamento

14 personalidades contam como lidam com a inveja

RENATA RODE
Colaboração para o UOL

Há quem diga que existem dois tipos de inveja: a boa e a ruim. Mas convenhamos, nenhuma delas é benéfica, nem para quem sente nem para quem é o alvo. Uma recente pesquisa capitaneada por cientistas japoneses identificou regiões do cérebro que controlam esse sentimento. "A inveja pode levar uma pessoa a praticar um ato destrutivo e até criminoso para conseguir o que deseja", explicou Hidehiko Takahashi, pesquisador-chefe do Departamento de Neuroimagem Molecular do Instituto Nacional de Ciência Radiológica de Tóquio, a BBC Brasil, sobre pesquisa publicada no “American Journal of Science”.

Confira como algumas personalidades bem-sucedidas driblam a inveja

Segundo Zuenir Ventura, autor do livro “Inveja – Mal Secreto” (Editora Objetiva), a inveja é o único pecado que sobrevive escondido e nos rodeia diariamente. “O ódio espuma, a preguiça se derrama, a gula engorda, a avareza acumula, a luxúria se oferece e o orgulho brilha. Só a inveja é o pecado que se esconde”, diz. Ele ainda afirma que “ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é não querer que o outro tenha. Sim, ela é um vírus que se caracteriza pela ausência de sintomas aparentes”, afirma.


 

Topo