Comportamento

Você Manda: veja as histórias escolhidas que contam momentos marcantes vividos com o pai

Getty Images

Da Redação

No Dia dos Pais não há nada melhor do que lembrar os momentos marcantes vividos ao lado dele. São memórias de exemplos, acontecimentos felizes e divertidos, histórias dramáticas que mudam comportamentos ou simplesmente a influência do pai na conduta de vida dos filhos. Essas foram algumas emoções que permearam os textos enviados pelos internautas para o Você Manda do dia 27 de julho a 5 de agosto. E hoje publicamos a melhor história. Mas, como foram muitas histórias de vida emocionantes, resolvemos incluir o segundo e o terceiro lugares. Assim, leia abaixo os textos eleitos

 

 

PRIMEIRO LUGAR

"Ao meu anjo da guarda, meu melhor amigo"

Sempre tive uma relação um pouco distante com o meu pai. Ele sempre foi muito severo, fechado e, por ter tanto respeito a ele, acabei ganhando outro sentimento, o medo, sim, era isso que eu sentia por ele...

Às vezes, procurava pensar que aquele jeito de agir vinha da vida que ele levou: trabalho duro na roça, sem estudo, sem muitas possibilidades. Ele calçou o primeiro chinelo quando tinha 15 anos. Sempre sofreu e lutou muito.

O tempo foi passando até que, em um triste dia, meu pai sofreu um acidente de trabalho. Ninguém imagina o susto que tomamos, e eu o vi ali indefeso, aquele homem forte e durão tornara-se uma criança, que precisava de cuidados. Foi a primeira vez que eu o vi chorar. Até hoje, anos depois, aquela cena não sai da minha mente. E acho que foi preciso passar por tudo aquilo para poder ver meu pai se tornar um homem diferente e ver os meus sentimentos também se tornarem diferentes. Ele se tornou um novo pai, e eu uma filha bem melhor.

Hoje, o homem severo e fechado tornou-se o meu anjo da guarda, meu melhor amigo. É ele quem me motiva dia a dia, me orienta e me ajuda a seguir em frente todas as vezes que teimo em parar no meio do caminho. Eu o amo demais e aproveito o dia de hoje para dizer a você, meu pai querido, que peço ao “papai do céu” todos os dias para lhe dar saúde e vida longa para eu poder ter sempre o seu sorriso, o seu abraço e a sua presença transformadora. Você, paizinho, é o meu super-herói, sol da minha vida, meu combustível diário.

Nome: Marcília Leite Arantes, 28 anos
Nome do pai: Francisco Dorgival Leite, 58 anos
Barra Mansa, Rio de Janeiro

 



SEGUNDO LUGAR

"Meu pai"

É difícil escolher um momento legal que tive com meu pai. Foram muitos... Meu pai já se foi há 20 anos, mas eu ainda o amo e, muitas vezes, sinto sua presença doce, seu cheiro, seu amor. Meu pai não era herói. Era um homem que acertava, errava, era feliz. E me ensinava a viver e a buscar meus caminhos. Eu fiz este poema para ele alguns anos atrás:

Ao meu pai que não foi herói, mas humano, errando, meu amigo.

O homem sensível, que não tinha vergonha de chorar e dizer que não sabia.

Que sonhava e realizava. Amava.

O homem que me ensinou a andar, cair, chorar e levantar.

Subir em árvores, brincar, abraçar, correr, sorrir.

O homem que me mostrava as várias possibilidades, nunca impondo suas vontades.

Ensinando-me que a vida é feita de escolhas, e que a responsabilidade é sempre minha.

O homem que muitas vezes me viu chorando pelas decepções da vida, as perdas e nunca me disse que não valia a pena. Ao contrário, dizia que tudo é crescimento e que a vida é linda, está aqui para ser vivida, sentida sem medos, de peito aberto.

O homem que dançava e cantava sem motivos só porque o dia estava bonito. Cultivava suas rosas e me ensinava os segredos.

Contava-me histórias sobre estrelas, deuses, anjos, memórias, e que me ensinou a aprender uma coisa de cada vez.

O homem que me deu um espelho de presente e me disse que todas as respostas que eu iria precisar para o resto da minha vida estavam ali refletidas.

O homem que me ensinou as primeiras letras e o gosto pelos livros, me ensinou poesias, a pescar e a escutar o silêncio, o respeito e a amizade.

O homem que me amava e me incentivava a ter asas, voar, crescer, aprender, superar.

Que vibrava com minhas vitórias e, nas minhas derrotas, respeitava meu tempo, levantava meu queixo e lembrava que o caminho era longo.

O homem que me ensinou a nunca me trair. A escutar as pessoas com o coração.

O homem que me ensinou a ser o que sou.

Meu pai... Pai, seja lá onde estiver, você nunca saiu de mim. Te amo!

Nome: Maria Luisa Sampaio Peixoto, 53 anos
Nome do pai: Jacinto Sampaio Peixoto
São Paulo, Capital

 



TERCEIRO LUGAR

"Tantas opções"

Sentada na sala de casa, eu folheava uma “revista de meninas” da época. Eu respondia aqueles testes e me deparei com uma pergunta difícil: quem era a pessoa que eu mais amava na vida.

Fiquei indecisa. Tantas opções! Olhei para o meu pai que estava deitado no sofá. Resolvi perguntar para ele. Queria ver como ele sairia dessa. Afinal, para mim, ele teria de decidir entre mim, minha mãe e meus irmãos. Saia desta sinuca, papai!

E eu com um sorrisinho irônico e superior nos lábios, fiz a pergunta: “Pai, quem o senhor mais ama no mundo?”. E ele, após um segundo, respondeu: “Meu pai”.

Fiquei emocionada. Desse momento em diante, soube que ele sempre me responderia de forma simples e sincera. Que não responderia com rodeios e que, por mais que eu me machucasse com resposta, ele sempre expressaria o que estava sentindo.

Daquela menininha só me resta a dúvida: quem mais amo no mundo? Tantas opções!

Nome: Leila Moreira Micali, 47 anos
Nome do pai: Valter Basile Moreira, 72 anos
São Paulo, Capital
 

Topo