Comportamento

Descubra por que ficamos radiantes depois do sexo

RENATA RODE
Colaboração para o UOL

Que fazer sexo é bom todo mundo já ouviu, mas você parou para pensar no que acontece depois com seu corpo e sua mente? Aquela sensação de estar nas nuvens tem explicação. “A prática sexual favorece tanto o equilíbrio físico quanto mental, pois o organismo libera uma carga maior de uma substância responsável pela sensação de bem-estar, a endorfina. Além disso, o sistema circulatório e respiratório trabalha com mais intensidade, o que estimula a atividade cerebral”, explica a sexóloga mineira Walkiria Fernandes. E mais: o aumento da circulação sanguínea promove maior oxigenação das células, favorecendo o aspecto da pele, com uma aparência mais jovem e tonificada.

  • Getty Images/Thinkstock

    Durante o orgasmo, o organismo libera endorfina, substância que dá sensação de bem-estar

E a sensação de relaxamento? “Normalmente, após um orgasmo, há uma sensação de bem-estar que pode facilitar também o sono. Além disso, sentir-se amado e desejado faz bem à autoestima, melhora o astral e aumenta a autoconfiança. O resultado é mais disposição para enfrentar o dia a dia”, diz a especialista.

Para a psicanalista carioca Regina Navarro Lins, autora do “O Livro de Ouro do Sexo” (Ediouro), o sexo é um constante aprendizado. “As mulheres não são menos orgásticas que os homens; na verdade, elas são fisicamente capazes de ter múltiplos orgasmos, e a maioria das mulheres que se masturba sempre alcança o ápice do prazer.” Mas já que não há diferença entre homens e mulheres, porque eles parecem ter mais sucesso ao finalizar a relação do que as mulheres? Segundo pesquisa feita por Marcia e Lisa Douglas, autoras do livro “Eu Também Quero”, mulheres que praticam sexo com uma parceira atingem o orgasmo 83% das vezes. Portanto, segundo as autoras, o problema pode ser o jeito como os homens abordam as madames e como elas se comportam diante dessa situação.

O cérebro responde

Vários são os estudos que procuram entender o que acontece com o cérebro no momento do orgasmo. “Existe uma região no cérebro, chamada cinza periaquedutal, muito rica em neurônios portadores de endorfinas, que, quando estimulada, aumenta a sensação de prazer. Ao mesmo tempo, a área do cérebro responsável pelo medo e pela ansiedade é desligada durante o orgasmo. Daí explica-se a sensação de entrega e perda de controle nesse momento”, afirma Walkiria.

Depois vem a sensação de relaxamento, que acontece porque as endorfinas descarregadas se espalham pelos músculos e pela corrente sanguínea, dando maior sensação de prazer e saciedade.

Eles também podem fingir

É o que afirma Regina Navarro Lins em seu livro, com endosso de outro especialista. “Como o orgasmo é uma sensação traduzida no corpo por alguns sinais, como a contração muscular generalizada, e não necessariamente acompanhada de ejaculação, teoricamente, o homem pode fingir, sim”, informa o urologista Celso Gromatzky, de São Paulo.

Walkíria lembra que não se deve confundir prazer com orgasmo. “Prazer é toda sensação agradável que sentimos quando realizamos algo de que gostamos. Podemos sentir prazer em comer, correr, viajar, ouvir uma música e ao fazer sexo. Orgasmo é o ápice do prazer sexual, é uma descarga de energia sexual”, explica.

O orgasmo feminino pode não acontecer em todas as relações e mesmo assim o relacionamento sexual ser satisfatório para a mulher. Preliminares, o jogo de excitação, o prazer de tocar e de ser tocada, tudo se soma e também traz satisfação. “O que pode causar insatisfação e incômodo não é exatamente a falta do orgasmo em uma determinada relação, e sim a preocupação por não tê-lo atingido. É comum que algumas mulheres atinjam o ápice em primeiro lugar com o sexo oral, porém nada deve ser transformado em tabu para não gerar expectativa ou frustração na próxima relação”, ensina a sexóloga.

A prática

Que sexo, quando feito com prazer e segurança, faz bem à saúde todo mundo sabe, mas e na prática? “Aprendi que conhecer meu corpo é o passe livre para que eu tenha cada vez mais uma vida sexual ativa e feliz. Fiz isso no início de minha carreira como stripper de internet, quando eu me masturbava todos os dias em frente ao computador. Pude perceber que esse hábito me fez mudar na cama, aguçando mais ainda a criatividade e fazendo meu orgasmo ser mais rápido e constante”, diz M.L., 32 anos, garota de programa que mora em São Paulo. A profissional atende homens e mulheres e acha que existe uma diferença básica entre os sexos: “Homens são mais diretos, adoram ouvir besteira, uma lingerie sensual e iniciativa. Já minhas clientes buscam gentileza, romantismo e dedicação durante o ato sexual. É completamente diferente.”

15 curiosidades sobre sexo

Veja algumas informações retiradas “O Livro de Ouro do Sexo” (Ediouro):

  1. o clítoris retoma sua posição normal entre 5 e 10 segundos após o orgasmo
  2. a ejaculação masculina ocorre logo após o início das contrações da próstata
  3. a vagina recupera rapidamente seu tamanho normal, sendo que a volta à cor normal pode demorar entre 10 e 15 minutos
  4. durante o orgasmo, os testículos são puxados firmemente contra o corpo
  5. o orgasmo masculino pode durar até 20 segundos
  6. o orgasmo masculino geralmente ocorre simultâneo à ejaculação, embora possam ser independentes
  7. durante a excitação, as dobras escrotais do órgão masculino desaparecem
  8. durante a relação sexual, os batimentos cardíacos aceleram-se e a pressão arterial sobe
  9. durante o ápice da relação, a acuidade visual e auditiva é diminuída
  10. na mulher, depois do orgasmo, o útero e o colo uterino descem para as posições de pré-excitação
  11. durante o ato os seios femininos aumentam de tamanho
  12. na relação, a cor da parede vaginal torna-se mais escura
  13. durante a excitação, os testículos começam a subir
  14. nessa fase, tanto no homem quanto na mulher aumenta a tensão neuromuscular geral
  15. cerca de 25% dos homens têm rubor sexual durante o período de excitação
Topo