Comportamento

Saiba onde deixar o pet nas férias

RENATA RODE
Colaboração para o UOL

  • Divulgação

    Treinador Dan Wroblewski com um cão no hotel Parque Canino

Janeiro, tempo de férias. Passagens compradas e malas prontas estão à espera de alegria. E o que fazer quando o bichinho de estimação não pode acompanhar? A jornalista paulistana Raquel Moraes, apesar de deixar a simpática Lhasa Apso Carol, de 15 anos, em uma mesma clínica veterinária desde que ela era filhotinha, confessa que sempre fica com um aperto no coração. “Confio na equipe e na veterinária responsável, que cuida dela há muito tempo, mas me preocupo em saber se ela está bem e se está comendo. Já com certa idade, Carol precisa de medicamentos para o coração e ração especial diariamente”, explica.

Na mesma saia justa esteve a assessora de imprensa paulistana Laura Leite também. Com passagens compradas e hotel reservado para passar o Natal em Salvador, na Bahia, ela se viu numa correria quando a mãe também resolveu viajar na mesma época, avisando dias antes que não poderia ficar com Hannah, a Cocker Spaniel, de 9 anos. Nessa hora, é essencial ter paciência e pesquisar o melhor local para deixar o bicho de estimação.

  • A Cocker Hannah passou o Natal em um hotel para pets

“Pesquisei bastante e resolvi conhecer um dos hotéis que me chamou a atenção por tratar os cachorros de pequeno porte soltos. Dois diferenciais fizeram me decidir pelo local: a veterinária e dona do local, que me atendeu muito bem, e o sistema de câmeras on-line, que garantiu que eu acompanhasse minha filhota mesmo estando longe”, diz. E foi assim que ela ficou mais tranquila quando, mesmo estando na praia baiana, pôde visualizar em tempo real a Cocker brincando dentre os quatro ambientes diferentes. “Nos preocupamos em fornecer login e senha somente para os donos de animais hospedados. Depois que a estadia termina, os acessos são cancelados, já que visamos a segurança dos bichinhos, inclusive contra sequestros”, explica Vanessa Requejo, médica veterinária comportamentalista fundadora da Cãominhando.

O hotel tem hospedagem 100% livre, em que os cães ficam soltos, por isso há duas unidades em São Paulo. Assim, os cães de porte pequeno podem ficar separados, com brinquedos, camas e alimentação específicos. “Em relação aos gatos, há uma grande procura por pet sitter, já que eles ficam muito melhor hospedados em suas residências”, afirma a especialista.

Cuidados

  • Divulgação

    Na Cãominhando os cães brincam e há câmeras on-line

Um dos maiores erros de quem planeja deixar seu animal em hotel é não conhecer bem ou não ter referências sobre o estabelecimento. "A maioria dos donos, por comodidade ou mesmo falta de tempo, escolhe essas acomodações por internet e pode sofrer um golpe ao não verificar a idoneidade dos proprietários e da estrutura local”, explica Dan Wroblewski, professor de agility e especialista em comportamento canino do hotel Parque Canino.

O veterinário Youssif Said, do Petshop Cão & Tal, de São Paulo, recomenda locais onde o cão é solto em determinados horários. “Existem vantagens e desvantagens de deixar em canil ou soltos. No primeiro caso, por ficar preso, o pet pode ficar mais estressado por já estar longe dos donos e do ambiente social. No segundo, há mais riscos de traumas e brigas, mas o animal faz mais exercícios”, explica. Também é preciso atenção nas diferenças de hospedagem de cães e gatos. Os felinos, preferencialmente, devem ficar em locais com baias isoladas. “Não é recomendado contato com outros gatos, pois eles normalmente são menos sociáveis. Neste caso, locais abertos também devem ser evitados, pois há risco de fuga.”

Mesmo com todos os cuidados, o pet fica sujeito a tristeza e doenças, por conta da distância, por isso é essencial certificar-se de que toda a estrutura é adequada para a hospedagem. “Trabalhamos com florais de bach, aromaterapia e reiki, para que os cães fiquem bem mesmo fora de casa, inclusive durante os fogos da virada do ano e do Natal”, afirma Vanessa Requejo, do hotel Cãominhando. Certificar-se sobre a qualidade da alimentação e das acomodações para uma boa nutrição e um sono tranquilo também devem fazer parte do check list.

Coelhos

A cunicultora Tatiana Vonzodas opta por deixar a Schnauzer Nanny, de 7 anos, em hotéis para cachorros quando precisa viajar: “Ela fica muito cansada em viagens. Prefiro hospedá-la em locais de confiança, que possam zelar por seu bem-estar”. Há três anos, Tatiana começou a atender aos pedidos dos clientes da Cia do Coelho e passou a hospedar coelhinhos que não podem sair de férias com seus donos. “Aproveitamos para cortar as unhas, vermifugar e até agendamos castrações para esta época. Geralmente, hospedamos animais de clientes nossos, ou seja, gente que comprou e aprendeu a cuidar conosco mesmo”, conta.

Confira mais dicas:

ONDE

  • 1

    Cãominhando

    www.caominhando.com.br/blog
    tel. (11) 2506-6487 e 5523-1070

  • 2

    Cia dos Coelhos

    www.ciadoscoelhos.com.br
    tel. (11) 8545-3199

  • 3

    Parque Canino

    www.parquecanino.com.br
    tel. (11) 4243-1054 e 7645-1122

    1) Equipe treinada e qualificada - Veterinários, enfermeiros e estagiários devem zelar por um rigoroso controle sanitário, bem como sobre a qualidade da estada do animal no espaço. A equipe precisa ter boa formação e experiência nas funções.

    2) Vacinas e proteção - Para evitar a transmissão de doenças infectocontagiosas entre os cães, o ideal é levar o pet já protegido com medicamento antiparasitário recém-aplicado e com as vacinas em dia. No caso de locais abertos e sítios, fazer a vacina contra leptospirose - caso tenha sido aplicado no período maior que seis meses.

    3) Documentação - Desconfie quando um local permite que seu bichinho seja hospedado sem o envio dos documentos que comprovam a integridade física do animal. Outros pets podem ter tido a mesma regalia, o que deixa todos em risco.

    4) Higiene e limpeza - Trabalhar com cães não deve ser desculpa para falta de higiene, pelo contrário: as instalações devem estar sempre limpas, sem parasitas ou produtos que possam causar intoxicação nos animais.

    5) Serviço personalizado - Preencher uma ficha de hospedagem ou entrevista sobre os hábitos do pet ajudam - e muito - na hora dos cuidadores entenderem as necessidades do animal. Dê preferência por lugares que se preocupem com esses detalhes.

    Topo