Relacionamento

Para não se surpreender com um fora, observe os sinais de que a relação vai mal

Thinkstock
Para salvar sua relação antes que ela desmorone, dê atenção aos sinais que mostram o que está errado imagem: Thinkstock

GISELA RAO

Colaboração para o UOL

“Meu amor terminou comigo de uma hora para a outra”. Quem já não ouviu ou falou essa frase antes? Ela caracteriza bem um comportamento: tapar o sol com a peneira. O outro sempre dá sinais de que as coisas não vão bem. Basta ficar atento a eles. “O relacionamento contém quatro tipos de interações: entre 'eu e eu', entre 'eu e você', entre 'eu e nós' e entre 'nós e você'. Não é fácil administrar”, explica o psicoterapeuta Gilberto Picosque. “Isso fornece matéria-prima inesgotável para inúmeras crises –e toda crise apresenta sinais.”  

Mas por que tanta gente não nota esses sinais? Para Sergio Savian, terapeuta e autor de diversos livros sobre relacionamento, muitos tendem a vivenciar as relações de forma insatisfatória, sem perceberem que não estão felizes.

“Há quem leve namoros ou casamentos de qualquer jeito. Alguns relacionamentos se alongam mais do que deveriam, mesmo mortos; outros parecem que vão bem, mas terminam de repente. Pode ser que um dos dois já vinha premeditando a separação ou tenha aparecido uma terceira pessoa. Mas, independentemente da razão, os sinais estão por toda parte”, garante.

Gilberto Picosque listou alguns dos indicadores que apontam para uma relação carente de revisão em diversos planos diferentes. Veja:

SINAIS NO PLANO EMOCIONALSINAIS NOS PLANOS TEMPORAL E SOCIAL
Evitar colocar-se no lugar do outro e dificultar negociaçõesSempre incluir alguém na relação para evitar intimidade
Ser intolerante, impedindo o parceiro de se retratar durante discussõesPreencher excessivamente o cotidiano com parentes e amigos
Insistir em tentar mudar o outro, tentando prolongar artificialmente a fase inicial de idealizaçãoComparar e criticar publicamente o outro, mesmo que no círculo mais íntimo
Sonegar a chance de o outro perceber seus errosRejeitar sempre a comunidade de amigos do parceiro
Relevar características criticáveis, acumulando desprezo intimamenteEvitar a saída com amigos em comum
Não ter saudade e sentir alívio quando está sozinhoFicar constrangido ao apresentar-se socialmente com o cônjuge
Optar por relacionamentos extraconjugais por não acreditar mais na relaçãoEvitar discutir ou realizar projetos presentes e futuros (filhos, viagens, férias, construção de casas)
Pensar frequentemente em dar um tempo na relaçãoNão se enxergar nos projetos do outro ou não incluir o outro nos projetos individuais

Restringir sistematicamente a atenção e o cuidado dedicado ao cônjuge

Ao olhar para trás, não sentir orgulho do que viveram juntos

Além dos sinais já listados, o sexo também é um termômetro de que o relacionamento não vai bem. A terapeuta e sexóloga Regina Navarro Lins, autora de “A Cama na Rede” (editora Best Seller), entre outros livros, dá algumas pistas. Segundo ela, é importante não achar natural quando um dos dois dá frequentes desculpas para evitar fazer sexo, transa por obrigação ou finge orgasmos.

Mas não se desespere se você identificar essas características no seu relacionamento. “Perceber esses sinais não significa que a relação já desmoronou, mas, sim, que o casal pode estar diante de algum desafio evolutivo que pode ser superado”, afirma o psicoterapeuta Gilberto Picosque. Claudya Toledo, terapeuta e fundadora da empresa A2Encontros, indica algumas atitudes para o casal voltar a curtir a relação:
 

RECONSTRUA A RELAÇÃO

1. Tenha um espaço vazio na sala para exercitar sua criatividade. Nele, vocês podem malhar juntos, dançar, jogar algum jogo, namorar etc. Com essa proposta, você poderá dissolver um pouco a rigidez da rotina, criando novas razões para estarem juntos nesse lugar

2. Crie novas conversas, invente brincadeiras, seja alegre e otimista. Faça de suas conversas com seu parceiro algo novo, sempre. Mostre o seu diferencial, doe-se e faça do seu relacionamento algo especial, diferente de todos os que você já viveu

3. Cozinhem juntos. Isso pode ser uma experiência incrível. Combinem antes quem vai preparar qual prato. Dessa forma, o casal se harmoniza na cozinha e cria junto um alimento. A comunhão vem pela comida

4. Rir ainda é o melhor remédio. Voltem a dar gargalhadas juntos. Isso traz aquela sensação de bem-estar. O riso rejuvenesce e nutre a alma de alegria. O riso dá prazer e leva ao prazer. E esse é um excelente afrodisíaco para um sexo prazeroso. Riam de si mesmos e um do outro. É divertidíssimo!

 

Topo