Comportamento

Como você encara um fora no relacionamento? Faça o teste e descubra

RENATA RODE

Colaboração para o UOL

O que não faltam são filmes, músicas e livros que falam sobre o fora, o trágico rompimento de um relacionamento amoroso que tem uma característica muito particular: foi decidido por apenas um dos membros de um casal. A psicanalista e especialista em relacionamentos Tatiana Ades explica que, após o término, é comum que a pessoa vivencie um período de luto.

"Em consultório, oriento os pacientes a tentarem manter a rotina, para que a dor seja minimizada com o tempo. A pessoa não pode abandonar suas atividades. Se faz academia, precisa continuar; se gosta de sair com os amigos, deve se programar...", exemplifica.

Para a especialista, ficar remoendo o que aconteceu e analisar de maneira exagerada as situações passadas só piora a fase. "É normal que quem tomou o fora chore ou não queira sair de casa em um momento ou outro. Mas ficar retrocedendo para reviver a experiência é ruim. A pessoa entra em um estado paranoico, como se o término fosse culpa dela e, às vezes, não é culpa de ninguém. Esse tipo de comportamento pode levar à depressão, já que o luto não consegue ser vivenciado."

Topo