Comportamento

Evite ataques de birra aprendendo a dizer "não" às crianças desde cedo

Thinkstock
Durante um ataque de birra, não comece a gritar também. Fale baixo e firme com a criança imagem: Thinkstock

ANGELA SENRA

Colaboração para o UOL

As manifestações de desagrado ao ouvir um "não" começam bem cedo. Com pouco mais de um ano, a criança já ameaça chorar quando os pais dizem essa palavrinha, para que ela não pegue ou faça alguma coisa. Ao contrário do que muita gente pensa, ela entende o que você está falando. E quando você diz “não” uma vez, na próxima, ela já olha para os pais antes de recuar, para conferir se a proibição é mesmo verdadeira. Esse é o momento de mostrar quem manda. Quanto antes, melhor, afirma a psicanalista infantil Anne Lise Scappaticci. "Nesta fase, a criança já percebe que chama a atenção e agrada quando faz gracinhas. Da mesma maneira, aprende que a birra pode ser usada para conseguir o que deseja".

O truque é tirar o pequeno da área proibida. Se ele continuar a espernear e gritar, mantenha-se firme na decisão, distraia sua atenção com outra brincadeira, mas não ceda. Geralmente, essa tática funciona, mas se a criança continuar, não se deixe vencer pelo cansaço. Seguir regras não é das coisas mais fáceis de aprender na vida, mesmo para os adultos. Leva tempo e é preciso ter muita paciência e repetição, explica a psicoterapeuta Amelia Nascimento. “Essa capacidade se desenvolve com o tempo. A educação acontece todos os dias, a todo momento. Cabe aos pais avaliar o que é importante negar e quando é possível ceder. Afinal, não dá para dizer ‘não’, nem ‘sim’, para tudo."

Na hora de deixar o parquinho, parar a brincadeira para comer ou tomar banho, mais choro? Não ceda, afinal, não é possível desistir de alimentar o seu filho ou limpá-lo só porque ele resmunga. Para a psicóloga infantil e terapeuta familiar Suzy Camacho, autora do livro "Guia Prático dos Pais" (Editora Paulinas), é preciso repetir muitas vezes o ensinamento, até que a  criança aprenda. "Se os pais forem coerentes em seus atos e palavras, certamente conseguirão ter um filho disciplinado", afirma Suzy.

Topo