Comportamento

Com poucos minutos ou muitas horas livres, aproveite o dia a dia ao lado dos filhos

Thinkstock
Dedique um tempo para fazer o que seu filho gosta, como ler, brincar, ver um filme ou jogar video game imagem: Thinkstock

KATIA DEUTNER

Colaboração para o UOL

Trabalho, afazeres e preocupações do dia a dia ocupam muito mais tempo do que os adultos gostariam – e quem mais sofre são as crianças. Por isso, reavaliar as prioridades, organizar horários e aproveitar melhor os momentos em família são fundamentais para uma relação saudável entre pais e filhos.

“Educar exige tempo, sim. Não dá para fazer uma conta de quanto será necessário por dia. Podem ser cinco minutos bem bons ou duas horas, apesar de os dois casos não serem a mesma coisa. É preciso dedicação”, alerta a psicopedagoga Tânia Ramos Fortuna, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Sem regras de tempo

Dividir o tempo disponível em horas só para os filhos e outras para resolver problemas não é a atitude ideal. O melhor mesmo é compartilhar todos os momentos possíveis. “Cronometrar horários de convivência pode ser um desastre. A conversa deve fluir naturalmente, assim como o convívio, e é fundamental para que vocês possam se entender”, diz a psicóloga Cynthia Boscovich.

Não tem outra opção: para conhecer os filhos, é preciso participar de suas vidas. E isso pode ser feito de várias formas – até durante as brincadeiras. “As crianças percebem quando os pais não estão envolvidos com elas. Ouvi-las e prestar atenção às suas necessidades é sempre muito importante”, comenta Cynthia.

De fato, saber ouvir realmente as dúvidas e alegrias é importante para um relacionamento bem sucedido com os filhos. “Os pais devem buscar o equilíbrio sempre. Descansar de suas atividades rotineiras para dar atenção de qualidade aos pequenos; esquecer um pouco os horários, a agenda e a ansiedade, que consome um tempo precioso”, explica a psicopedagoga e psicanalista infantil Deborah Cristina Ramos, do Instituto Brasiliense de Medicina.

Já que não dá para dividir o tempo, o melhor é incluir as crianças em atividades do dia a dia, como fazer compras no supermercado. “Estarem próximos e passarem juntos por momentos agradáveis fará com que, ao crescerem, os filhos tenham os pais também como amigos e companheiros, pois desde a infância existe um vínculo de confiança. Eles saberão que podem contar e compartilhar suas vidas”, diz a psicóloga e psicopedagoga Maria Cecília Galelo Nascimento, professora da Universidade Paulista (Unip).

Veja dicas para dividir as atividades corriqueiras com os filhos e veja o que é possível fazer se há poucos minutos ou muitas horas para passar com eles.

Quanto tempo você tem por dia para passar com as crianças?

Uma hora: Faça uma refeição com seus filhos. Se não der para preparar a comida junto com eles, aposte em pratos prontos. Assim, o foco fica na atenção e no diálogo. Escute o que eles têm a dizer e conte algo de sua rotina. “É melhor terceirizar a cobrança com os estudos, que certamente demandará muito tempo e energia. Invista em tempo para descontrair, conversar informalmente sobre assuntos diversos e até brincar neste período”, diz Deborah.
De uma a três horas: Além de fazer a refeição juntos, você pode pedir ajuda para preparar a comida, escolher o cardápio ou secar a louça. Os pequenos gostam de dividir os afazeres. “Estimule-o desde pequeno, mesmo que mais atrapalhe do que ajude. Assim, quando estiver maior, não se sentirá obrigado, mas terá prazer em participar”, explica Tânia. Não se esqueça de brincar um pouco, ler um livro, jogar algo que seu filho goste ou mesmo assistir a um desenho com ele.
De três a cinco horas: Faça parte do dia a dia de seu filho. Participe de suas refeições, tenham longas conversas e dê um suporte nos estudos. Além disso, conte histórias, leia um livro ou gibi e ajude-o a se comunicar em redes sociais. Mas tudo de forma espontânea. “Se ele quiser assistir a um filme pela milésima vez, assista. Aquilo faz sentido para a criança. Muitas vezes, perdemos a chance de entrar no universo dos pequenos, de conhecer seus desafios e seus temores”, avalia Tânia.
Mais de cinco horas: É possível acompanhar de perto a rotina do pequeno. Façam as refeições juntos, ajude-o nos estudos, brinquem, conversem. Mesmo que este tempo esteja disponível apenas nos fins de semana, dá para fazer passeios ao ar livre, programar pequenas viagens, visitar parentes e amigos. Quando você se dispõe a passar mais tempo com as crianças, participa mais da educação delas e só tem a se beneficiar com isso.

 

Topo